Jardim da Nazaré é um “cartaz” de lixo e de desleixo para a cidade

FOTOS PAULO BRITO.

A Madeira é afamada pela beleza dos seus jardins, um dos cartazes turísticos intemporais desta ilha. No centro da cidade turística, há efetivamente algum cuidado com estes espaços verdes, mas, na periferia, é evidente alguma desatenção e desleixo que, no entanto, não passa despercebido ao olhar dos visitantes.

Na populosa zona da Nazaré, o jardim que faz  jus ao nome, denominado “Mata da Nazaré”, é bem visível o estado de abandono desta área urbana. O entulho está à vista de quem passa e uma palmeira totalmente seca ocupa o centro jardim. Falhou a manutenção, apesar dos vários alertas lançados pelos respetivos moradores da zona.

Até os restos da relva se amontoam a um canto para memória futura, junto às paredes da empresa “Prebel”. Para alguns jovens menos prudentes, o espaço já é visto como abrigo preferencial de toxicodependentes, numa zona que é publicamente conhecida pelos problemas sociais que têm vindo a ser atenuados ao longo dos anos.

Os mosquitos também proliferam no jardim abandonado, à espera da intervenção das autoridades competentes.