PPM aponta o dedo ao subsídio de mobilidade e aos condicionalismos da época natalícia

O PPM Madeira emitiu um comunicado afirmando que pretende que o subsídio de mobilidade “chegue a um termo” e que os partidos realmente se unam para a revisão do mesmo. João Noronha lamenta que se atrase este problema e espera que “de uma vez por todas os residentes madeirenses apenas paguem 86€ e os estudantes 65€, ao contrário de adiantarem dinheiro muito acima do valor do subsídio”. Desde sempre que o PPM esteve contra o novo modelo posto em prática, diz o partido. “Se agora todos os partidos com assento parlamentar desejam a mudança, então do que estamos à espera? Estamos a chegar a uma altura importante para os estudantes regressarem e estarem com as famílias na época festiva do Natal e Ano Novo, mas as tarifas já começam a rondar preços proibitivos”, aponta esta força política, pela voz do seu dirigente João Noronha.