Alimenta convenientemente o seu cão?

A escolha da comida do cão nem sempre é uma tarefa fácil: o número de possibilidades é enorme, inclusive dentro da mesma marca. Um cão muito pequeno tem necessidades nutricionais diferentes de um cão gigante. Se bem que existem diferentes fatores que influenciam na altura de escolher a comida mais adequada para o cão, como por exemplo, o grau de atividade, se está esterilizado ou se apresenta alguma sensibilidade, há outros dois elementos fundamentais que determinam as necessidades nutricionais dele: a idade e o tamanho. Por que é que são tão importantes o tamanho e a idade? Porque o tamanho determina o tipo de crescimento, porque existem sensibilidades nutricionais associadas ao tamanho e porque há diferenças no ritmo de envelhecimento entre cães grandes e pequenos.

Como podemos classificar os cães em função do tamanho? Devemos começar por dizer que o tamanho do cão é um critério que está determinado pelo peso dele quando adulto e que marca as necessidades nutricionais que tem. Por isso, podem classificar-se em: cães muito pequenos (menos de 4 quilos), cães pequenos (de 4 a 10 quilos), cães médios (entre 11 e 25 quilos), cães grandes (de 26 a 44 quilos) e cães gigantes (com mais de 45 quilos).

Toda a alimentação tem croquetes adaptados ao tamanho, forma e textura porque também as mandíbulas são diferentes. Menos de 4 quilos. A grande particularidade dos cães com menos de 4 quilos é terem predisposição à formação de tártaro nos dentes e são propensos a sofrer prisão de ventre. Por isso, os alimentos específicos deles incorporam cálcio, um composto que ajuda a diminuir a formação do tártaro dentário e um conteúdo em fibra adequado para favorecer o trato intestinal.

O crescimento deste grupo de cães acaba por volta dos 10 meses de idade e começa então a vida adulta dele, com uma mudança de necessidades nutricionais aos 8 anos e a velhice é a partir dos 12 anos. Até 10 quilos. Os cães pequenos podem ser muito exigentes com a alimentação, motivo pelo qual os alimentos são muito palatáveis, ao mesmo tempo que contêm um contributo energético adequado para manter o peso ideal. Tal como os cães muito pequenos, considera-se que o desenvolvimento deles terminou aos 10 meses, que aos 8 anos mudam as necessidades deles e que aos 12 anos consideram-se velhos. Entre 11 e 25 quilos. Os cães médios concluem o seu desenvolvimento por volta dos 12 meses de idade. É nessa altura que deve comer os alimentos que não só tenham em conta a saúde da pele, mas também ajudem a manter as defensas naturais dele.

Aos 7 anos sofrem mudanças que requerem uma adaptação da sua alimentação e aos 12 anos são cães séniores. Entre 26 e 44 quilos. Pelo tamanho, estes cães têm uma maior sensibilidade digestiva e articular, por isso a comida deles é altamente digerível e incorpora condroprotetores para favorecer a saúde articular. O período de crescimento dos cães grandes é longo, já que se prolonga até aos 15-18 meses e consideram-se cães mais velhos a partir dos 5 anos. Mais de 45 quilos. A maior particularidade dos cães que têm mais de 45 quilos é que o desenvolvimento deles é muito lento e passa por duas fases bem diferenciadas, uma delas na qual o crescimento é de tipo esquelético (até aos 8 meses de idade) e outra na qual se desenvolve mais a musculatura (desde os 8 até aos 18-24 meses). Outra particularidade dos cães gigantes é que o envelhecimento deles é tão precoce que os alimentos para adultos já têm em conta as necessidades próprias da velhice.

*Médica na Clínica Veterinária Santa Teresinha