Feirantes descontentes no Santo da Serra culpam Câmara por falta de condições do recinto

Alguns feirantes que marcam presença na feira semanal que se realiza no Santo da Serra, concelho de Santa Cruz, estão descontentes com as condições existentes no local e culpam a autarquia. Conforme salientam, esta feira dominical já se realiza há muitos anos e “já faz parte da tradição da ilha”. No entanto, apontam, as condições para os comerciantes trabalharem e proporcionarem também aos clientes que ali acorrem as melhores circunstâncias para poderem observar a mercadoria e eventualmente adquiri-la a quem a vende, não são de modo algum as melhores.

Os feirantes que contactaram o Funchal Notícias acusam a Câmara Municipal de Santa Cruz de ter gasto milhares de euros naquele local, “fazendo umas bancadas que não têm lógica alguma” destinadas à colocação de artigos por parte dos feirantes. Muitos locais, no entanto, não possuem cobertura, asseveram, ou a mesma é deficiente. Os feirantes têm, assim, de “ir de madrugada andarem a colocar toldos para os proteger e aos produtos do sol e da chuva e conseguir manter os clientes”, que, ainda por cima, “já não são assim muitos”, pois, segundo dizem os comerciantes, ” já se sente a crise por lá”.

Os feirantes em questão dizem já ter comunicado com a edilidade para agendar reuniões com Câmara Municipal de Santa Cruz, mas queixam-se de que a autarquia “não arranja soluções mas sim cada vez mais problemas”.

“Andaram a investir numa vedação a volta do recinto que mais uma vez não tem lógica alguma, até porque faz transtorno para os clientes e feirantes. Só gastam dinheiro desnecessariamente, quando poderiam investir esse dinheiro em outras coisas para o conforto de todos”, referem os queixosos, que acusam ainda a Câmara de pressionar os comerciantes para o pagamento de verbas, demanda à qual, se não obedecerem de imediato, são somados juros. “Onde é que já se viu isto, eles próprios só prometem na altura das eleições mas depois esquecem-se de todos”, queixam-se alguns dos que comercializam no Santo da Serra, dizendo que a Câmara só lhes coloca entraves e em nada lhes facilita a vida, quando já lhes custa ganhá-la.