Designer madeirense Nini desenhou novo hotel arrojado em Lisboa… chama-se “WC Beautique Hotel”

A designer de interiores madeirense Nini Andrade Silva está a ser elogiada pelo conceito desenvolvido numa nova unidade hoteleira de Lisboa, inovadora quanto baste: o “WC Beautique Hotel”. Sim, leu bem, é um hotel chamado… “WC”, e que proporciona aos visitantes uma experiência que promete ser inolvidável, já que não lhe conhecemos paralelo.

A ideia, segundo o site oficial do espaço, é a de que o WC Beautique Hotel nasceu “para nos lavar a alma em plena Avenida Almirante Reis, uma zona da cidade que acreditamos estar a converter-se no novo Soho de Lisboa, onde os movimentos multiculturais afloram, assumindo-se actualmente como hub de criatividade, dinamismo e agregador de jovens que procuram diferenciação positiva”.

Por isso, a gerência convida os hóspedes a “despirem-se de preconceitos” e “mergulharem num mundo que, na realidade, é todo ele, uma casa de banho”, e que classifica como “um espaço vibrante e eclético, provocador, onde as emoções são para ser sentidas à flor da pele, ou diríamos antes, à tona da água”.

Este hotel localizado no Intendente, a poucos minutos do centro histórico da capital portuguesa, destaca-se pela originalidade e pela diferença, que têm merecido o aplauso dos visitantes que lá se têm hospedado, como pudemos verificar pela consulta de sites como o Tripadvisor ou o Booking.com. O conceito totalmente inovador é elogiado em várias línguas, pelo testemunho de turistas, a par da qualidade dos serviços.

“Para Nini Andrade Silva”, pode ler-se no site oficial do hotel na Internet, “o WC Beautique Hotel surge irreverente e dedicado a pessoas sem idade, jovens, criativas e com uma enorme paixão pela vanguarda, pelo ousado, pela frescura e pela arte! Surge da fusão dos traços característicos de uma derradeira (in)temporalidade de onde emerge o actual conceito que, com especial significado, nasce da inspiração num mundo líquido, dos banhos, água, vapores e gotejos, culminando num enorme WC pelo qual sentimos vontade de caminhar descalços tocando o chão salpicado de espuma e as paredes húmidas e frescas!

As boas-vindas são-nos dadas na zona de recepção, formada por duas banheiras e uma grande queda de água que cobre o corpo de quem ali decidiu mergulhar!

A arte dissidente emerge um pouco por todo o lado, fazendo- nos deparar com um enorme cubo de gelo que se derrete no chão dando corpo a uma peça escultórica transformada em lavatório social!

Ao longe, num nicho, o movimento da água em queda joga com todos os nossos sentidos!

Situado no piso inferior, o restaurante provoca-nos a sensação de movimento e fluidez, causada pela ilusão de ótica que o jogo de espelhos transmite ao reflectir imagens de quedas de água que se multiplicam ao longo do espaço.

Adentramos, e o ambiente torna-se mais indolente, de formas lânguidas e imagens pouco nítidas que surgem com o abrir de olhos submerso por um banho prolongado!”

É com esta descrição, confirmada pelas fotografias, que a gerência desta unidade hoteleira procura seduzir o eventual cliente para ficar no “WC”.

O hotel começou a receber os primeiros hóspedes a 27 de Outubro. Tem 41 quartos, um restaurante que serve pratos de cozinha portuguesa e um bar, além  um terraço com esplanada. Na decoração salientam-se os elementos aquáticos e o azul-turquesa. Os quartos são forrados a espelho e azulejos.

Os preços por noite variam entre os 160 e 480 euros, valores apresentados para duas pessoas, com pequeno-almoço incluído.