Orquestra Clássica da Madeira toca Bach hoje no Festival de Órgão, com Jan Willem Jansen

A Orquestra Clássica da Madeira desenvolve hoje um concerto em torno da obra de Johann Sebastian Bach, no âmbito da 8ª edição do Festival de Órgão da Madeira. A OCM já tem participado em anteriores edições, e foi novamente convidada pelo seu director artístico, o organista João Vaz. Desta feita, para acompanhar neste concerto o cravista e organista holandês Jan Williem Jansen e que classifica o evento como “certamente um dos pontos altos do festival”.

Juntamente com este conceituado  organista e cravista, natural da Holanda,  a Orquestra Clássica da Madeira apresenta um repertório com obras de destaque de Johann Sebastian Bach e Carl Philipp Emanuel Bach.  “Além do destaque dado ao concerto para Órgão de Carl Ph. Emanuel Bach, destacamos também a suite orquestral nº2 onde teremos o solo de Flauta de Ana Rita Oliveira, primeira flautista da nossa orquestra”, realça o director artístico da OCM, Norberto Gomes.

O concerto decorre na Igreja de São João Evangelista (Igreja do Colégio), pelas 21h30 de hoje, e tem entrada livre.

 O programa é o seguinte, mais concretamente:

Carl Philipp Emanuel Bach (1714 – 1788) – Concerto para órgão em Mi Maior bemol Wq 35

Jean Sebastian Bach (1685 – 1750) – Sinfonia da cantata BWV 35

Jean Sebastian Bach (1685 – 1750)  – Suite orquestral nº 2 em Ré menor BWV 1067

(Solista: Ana Rita Oliveira – Flauta)

Director artístico da OCM

O violinista madeirense Norberto Gomes, iniciou os seus estudos musicais no Conservatório de Música da Madeira, com sua irmã Zita Gomes, sendo suportado com uma bolsa de estudos da Fundação Calouste Gulbenkian. Foi galardoado com vários prémios nacionais, sendo de destacar o 1º Prémio Nível Superior – Solista no Concurso Músicos RDP e prémio medalha “Mérito Artístico” atribuído pelo Governo Regional da Madeira. Em 1989 inicia um longo período de formação na Ex-URSS, sendo fortemente subsidiado pelo Governo Regional da Madeira, onde teve oportunidade de estudar com vários pedagogos de mérito reconhecido, com destaque do distinto violinista, crítico musical e pedagogo A. N. Gorochov. Norberto Gomes tem-se destacado no campo da pedagogia onde com os seus alunos tem granjeado vários prémios em concursos nacionais para jovens violinistas. É Concertino e Director Artístico da Orquestra Clássica da Madeira. Norberto Gomes, detentor de vários graus académicos, é professor no Conservatório – Escola profissional das Artes da Madeira, onde é também Assessor Artístico da Direcção.

Solista: Jan Willem Jansen

Após os seus estudos com Jan Warmick, Willem Mesdag e Wim van Beek, obtém em 1977 o diploma de solista do Conservatório Real de Haia aperfeiçoando-se posteriormente em cravo com Ton Koopman em Amesterdão. Prossegue então os seus estudos em França com Xavier Darasse, de quem virá a ser colaborador pedagógico no Conservatório de Toulouse, onde ensina actualmente órgão e cravo. É, igualmente, co-fundador do Departamento de Música Antiga daquele estabelecimento e assegura, ao lado de Michel Bouvard, a responsabilidade do novo departamento superior «Orgues et Claviers». Co-fundador, em 1996, com Michel Bouvard, do Festival Internacional festival «Toulouse les Orgues», Jan Willem Jansen foi durante largos anos director  artístico daquele evento. Por ocasião da edição de 1997, gravou para a colecção Tempéraments a obra integral de órgão de Nikolaus Bruhns, completada com cantatas do mesmo compositor, interpretadas pelo Parlement de Musique sob a direção de Martin Gester. Em 1998, ele gravou um CD dedicado a Joan Cabanilles, no órgão histórico da Igreja de San Pablo em Saragoça. A sua actividade de intérprete leva-o a tocar com os mais importantes ensembles barrocos europeus, nomeadamente La Chapelle Royale de Paris, o Collegium Vocale de Gand, Hesperion XX, Les Sacqueboutiers de Toulouse e o Ensemble Baroque de Limoges. É também titular do órgão Ahrend do Musée des Augustins assim como do instrumento histórico da Basílica Notre-Dame de la Daurade em Toulouse.

Orquestra Clássica da Madeira 

Inicialmente constituída como Orquestra de Câmara da Madeira, fundada a 13 de Fevereiro de 1964 pelo Prof. Jorge Madeira Carneiro, a Orquestra Clássica da Madeira (OCM) é uma das mais antigas do país em actividade. Presentemente, é gerida e dinamizada pela Associação Notas e Sinfonias Atlânticas (ANSA), uma associação de natureza privada, sem fins lucrativos e de utilidade pública.

A partir de 1995, e graças ao apoio decisivo do Governo Regional da Madeira, passa a designar-se por Orquestra Clássica da Madeira, data a partir da qual se assiste a uma maior profissionalização, com a entrada de mais instrumentistas e com a compra de instrumentos e equipamentos.

Ao longo do seu percurso, a OCM realizou concertos a nível nacional e internacional, designadamente, festivais em Madrid, Roma e Macau, este último por ocasião de uma digressão pela Ásia. Em 1998 gravou um CD com o violinista Zakhar Bron, e em 2005, uma série de 5 CD´s com solistas portugueses, numa edição com obras de W. A. Mozart, para a EMI Classics.

Foi dirigida pelos maestros titulares Zoltán Santa, Roberto Pérez e Rui Massena e por maestros convidados, nomeadamente, Gunther Arglebe, Silva Pereira, Fernando Eldoro, Merete Ellegaard, Paul Andreas Mahr, Manuel Ivo Cruz, Miguel Graça Moura, Álvaro Cassuto, Jaap Schröder, Luiz Isquierdo, Joana Carneiro, Cesário Costa, Paolo Olmi, Jean-Sébastian Béreau, Maurizio Dini Ciacci, Francesco La Vecchia, David Giménez, Martin André, Jean-Marc Burfin, Philippe Entremont, Maxime Tortelier, Rui Pinheiro, Pedro Neves, Ariel Zuchermann, Gianluca Marcianò, Ernst Schelle, entre outros, e solistas tais como Elizabete Matos, Artur Pizarro, Pedro Burmester, Antonio Rosado, Paulo Gaio Lima, Abel Pereira, Mário Laginha, Maria João, Alexander Buzlov, Ilya Grubert, Amihai Grosz, Natalia Lomeiko, Pedro Caldeira Cabral, Arno Piters entre outros.

Passadas mais de cinco décadas de actividade, a Orquestra Clássica da Madeira abraça, neste momento, um projecto artístico que classifica de “arrojado”, proporcionando uma temporada rica em programas do período clássico, romântico e contemporâneo, onde prevê interpretar variadas obras, inclusive com estreias em primeira audição mundial, contando também com o Ciclo “Os Concertos para Violoncelo”, assim como dará continuidade aos Ciclos  “Grandes Solistas”, “Jovens Solistas” e “Grandes Obras”.