Cerimónia dos 180 anos do Liceu com Miguel Albuquerque a garantir o financiamento das obras finais de remodelação

Vídeo: https://www.facebook.com/funchalnoticias/videos/1949819688639179/
(Vídeo FN – Vânia Fernandes e antigos alunos do Liceu interpretam momento musical na cerimónia)

Fotos Rui Marote

O presidente do Governo Regional garantiu que o seu Executivo vai assegurar o financiamento para a conclusão das obras de remodelação do Liceu/Escola Secundária Jaime Moniz, mais precisamente ao nível da cobertura do edifício. Miguel Albuquerque respondeu positivamente ao repto lançado antes pelo presidente do conselho executivo desta instituição escolar no sentido de o Governo Regional apoiar o financiamento dos trabalhos em falta através do PATRIRAM, na sequência de outras obras já realizadas.

Vídeo: https://www.facebook.com/funchalnoticias/videos/1949822591972222/
(Vídeo da atuação do Coro da Escola Jaime Moniz)

Viveram-se, nesta manhã, momentos de emoção e de nostalgia na cerimónia que pretendeu assinalar os 180 anos do Liceu/ESJM e 75 anos do edifício atual. O Presidente da República, que não conseguiu estar presente a esta solenidade, adiou a sua visita ao Liceu para o dia 18 do corrente mês, mas as comemorações  foram realizadas num diálogo cultural entre os alunos do passado e a comunidade educativa da atualidade, numa homenagem do conselho executivo a todos aqueles que deram o seu contributo à qualidade e visibilidade que a Jaime Moniz tem no panorama nacional.

FOTOS RUI MAROTE.

Há 180 anos, a República autorizava a instalação daquele que foi o primeiro Liceu nacional, de Jaime Moniz. Desde então, conforme sublinhou o presidente do conselho executivo, Jorge Moreira, tem sido o trilhar firme de um percurso com base no lema “Tradição, Excelência e Inovação”.

Uma cerimónia que contou com a presença das mais altas autoridades civis e militares da Região, de antigos e novos alunos, com particular relevo para o muito ovacionado último reitor da instituição, Jorge Atouguia.

Após o descerrar da placa alusiva à efeméride, no átrio da ESJM, foi inaugurado o Núcleo Museológico “O Lyceu”, também com o contributo da Câmara Municipal do Funchal, graças ao Orçamento Participativo, no qual a Jaime Moniz foi vencedora e aplicou as verbas nesta renovação cultural que contou também com o contributo da SRE.

Ño ginásio do Liceu/ESJM, decorreu a sessão solene com uma simbiose de participações de antigos e atuais alunos, perante uma vasta plateia. Luís Miguel Jardim apresentou um vídeo com o passado e o presente da instituição, seguindo-se uma atuação musical protagonizada por antigos alunos que são hoje grandes figuras da música, como Vânia Fernandes, Paulo Ferraz, Barbosa e Quintal.

Para esta sessão estava reservada outra surpresa: a entrega, pela Direção, de certificados de distinção a antigos alunos com relevo na vida regional e nacional e que assim prestigiam a instituição, a saber: Jorge Filipe Atouguia, Ramiro Morna Nascimento, Alberto João Jardim, Manuel Correia de Jesus, Nuno Homem da Costa, Emanuel Jardim Fernandes, Francisco Costa, David Caldeira, António Trindade, Ricardo Velosa, Luís Miguel de Sousa, Vânia Fernandes, Miguel Albuquerque, Nini Andrade da Silva, Paulo David, Agostinho Ramos da Silva, Eduardo Franco, João Batista da Silva, Carlos Lélis, Ireneu Cabral Barreto, Roberto Ornelas Monteiro e Maria Luísa Sousa e Silva.

Vídeo: https://www.facebook.com/funchalnoticias/videos/1949814361973045/
(Vídeo Jorge Moreira a discursar na cerimónia, com agradecimentos aos antigos e novos alunos)

No seu discurso, Jorge Moreira expressou a sua “gratidão” pelo contributo de todos, os alunos do passado e do presente, a equipa interdisciplinar que preparou a cerimónia e os artistas que emprestaram ao ato grande brilho. “A história da Madeira está intrinsecamente ligada à história do Liceu”, salientou o presidente. Um percurso para continuar, tendo por base uma “cultura organizacional assente no lema Tradição, Excelência e Inovação, graças ao contributo do seu património humano riquíssimo”.

Jorge Moreira terminou a sua intervenção também parafraseando as palavras do imortal poeta Luís de Camões, “Esta é a ditosa escola amada que tão ditosos filhos deu e tem”.

Vídeo: https://www.facebook.com/funchalnoticias/videos/1949814361973045/
(Vídeo da intervenção de Miguel Albuquerque que garante apostar no ensino para preparar os jovens para os desafios do século XXI)

Miguel Albuquerque, antigo aluno do Liceu, agradeceu a “honrosa distinção” e congratulou este estabelecimento escolar e toda a comunidade pelo grande contributo na educação e formação, sendo mesmo uma “referência no panorama nacional pelos excelentes resultados que tem obtido”.

Mas há que olhar o futuro. Neste sentido, o presidente do GR lembrou que, “hoje, o grande desafio é o de preparar os alunos para as mudanças do século XXI. Vivemos numa sociedade muito deslumbrada consigo própria, mas temos a obrigação de proporcionar aos nossos jovens as ferramentas adequadas e necessárias para viverem melhor e este desígnio passa também pela escola”.

Respondendo ao presidente do conselho executivo do Liceu, Miguel Albuquerque deu carta branca para inscrever no orçamento as verbas necessárias aos melhoramentos das coberturas do edifício que completa também 75 anos de existência. A intervenção do presidente do GR teve um momento misto de cultura e de detalhes pitorescos sobre a vida da grande figura de referência do Liceu, o próprio Jaime Moniz, na sua vertente menos conhecida de advogado, justamente ao defender um cliente Vieira de Castro acusado de ter assassinado a sua mulher por infidelidade conjugal. Um caso que serviu para mostrar o talento de orador e de advogado de Jaime Moniz nas alegações finais, apesar de Vieira de Castro ter sido condenado.

A sessão solene foi encerrada com o discurso do Representante da República para a Madeira, também ele antigo aluno do Liceu, que definiu a instituição nestes termos: “Casa de educação, cultura e ciência, foi o berço de inúmeros talentos e de destinos singulares, de carreiras profissionais de excelência, de percursos brilhantes, mas foi sobretudo o local onde tantos e tantos milhares de jovens cresceram e chegaram, num ambiente sadio e guiados por mestres generosos, à idade adulta.

Ireneu Barreto quis deixar um forte apelo aos atuais alunos: “Portanto, estudem, leiam, pensem, interessem-se pelo mundo e procurem sempre as vossas respostas. Verão que vale a pena!”.