Inscrições no Centro Internacional de Negócios da Madeira cresceram 34,4% nos primeiros 7 meses de 2017

Entre Janeiro e 31 de Julho de 2017, foram licenciadas 121 novas empresas no Centro Internacional de Negócios da Madeira (CINM), mais 34,4% do que no período homólogo de 2016.

Segunda a newsletter da Sociedade de Desenvolvimento da Madeira (SDM), hoje divulgada, actualmente, estão licenciadas para operar no âmbito do CINM um total de 2.065 entidades, 1.494 das quais no sector dos Serviços Internacionais, 48 na Zona Franca Industrial e 523 registadas no âmbito do Registo Internacional de Navios da Madeira (MAR).

Tais indicadores revelam uma performance do CINM que supera claramente o período homólogo de 2016. Entre outros aspectos, estes são resultados que confirmam a consolidação do Regime IV, a adequação dos fortes investimentos promocionais assumidos pela SDM para promover o CINM nos mercados e a capacidade da Madeira para se apresentar de forma atractiva aos investidores internacionais.

Para a SDM, os resultados obtidos são muito positivos, alcançados em função da estratégia traçada pela empresa para 2017 que, em suma, corresponde a um programa promocional extenso e direccionado a mercados altamente competitivos, com a organização de acções de promoção no estrangeiro, para além de uma acção contínua no mercado nacional. Sustentado num investimento financeiro significativo, o objectivo principal do programa de 2017 tem sido o de corresponder à confiança que os investidores e os mercados têm demonstrado no Centro Internacional de Negócios da Madeira nos últimos anos.

De sublinhar que face à evolução registada nos últimos anos, o CINM tem vindo a afirmar a sua valia para o desenvolvimento económico da Madeira, sendo de destacar o contributo da receita fiscal produzida pelas empresas que operam no seu âmbito para os cofres da Região.

Trata-se de um contributo que nos últimos três anos tem oscilado entre os 15% e os 21% da receita fiscal total da Região (ou seja, entre os 134 e os 199 milhões de euros, respectivamente em 2014 e 2016), valores que evidenciam a importância inquestionável das empresas do CINM para a economia regional.