Lista independente “Somos todos Monte” mete mãos à obra e limpa Caminho dos Marcos

A lista independente “Somos Todos Monte”, que concorre às eleições autárquicas do próximo dia 1 de outubro para a Junta de Freguesia daquela localidade, procedeu este domingo a uma ação de limpeza do Caminho dos Marcos, acusando os atuais executivos da junta e camarário de inércia na resolução dos problemas que afetam aquela zona alta do Funchal.

Uma iniciativa que pretendeu dar corpo à filosofia de trabalho deste grupo, de que o principal objetivo da ação política deverá assentar mais nos atos do que nas palavras. Uma forma, dizem, de demonstrar à população que nem todas as candidaturas são iguais.

Os elementos da lista independente justificam a ação de limpeza do Caminho dos Marcos com o estado de abandono do local e sucessivos apelos da população tanto à Câmara Municipal do Funchal como à Junta de Freguesia do Monte. A candidatura acusa estas entidades de “completa inércia”,  pelo que decidiu meter mãos à obra e resolver a questão, que apesar de fácil solução, continuava a perturbar a vida das centenas de pessoas que vivem na zona.

A lista “Somos Todos Monte” não aceita que sejam os cidadãos a ficar prejudicados com o “jogo do empurra” das responsabilidades de cada uma destas entidades que continuam a usar estes argumentos para não responder às necessidades da população. “É um compromisso claro do Somos Todos Monte que, em caso de vitória eleitoral nestas eleições, todas as responsabilidades serão totalmente respeitadas e que quando o bem-estar da população justificar estaremos até disponíveis para ir além dessas responsabilidades, dentro das limitações impostas pela lei. Connosco o que contará sempre é o superior interesse das populações”.

Já em 2013, quando esta lista concorreu pela primeira vez a eleições, optando por lançar a sua candidatura de forma oficial com uma ação de voluntariado deste género, nessa altura, com a limpeza da zona do acesso pedonal da Vereda dos Poços que ficou destruída pela intempérie de 20 de fevereiro de 2010 e que ainda permanece sem recuperação depois de todos estes anos. Essa obra aparece novamente no programa desta candidatura como uma intervenção urgente a ser realizada em caso de vitória eleitoral.