PS quer poder autárquico em Santana que não favoreça “amigos, afilhados e compadres”

O candidato do PS à Câmara Municipal de Santana, João Sousa, e o presidente do PS-Madeira, Carlos Pereira, estiveram esta tarde no Tribunal do Funchal, na entrega de listas aos órgãos das autarquias locais do concelho do Santana.

Carlos Pereira, líder socialista regional, salientou que, com estas listas, o PS-M encerra a entrega de candidaturas aos 11 concelhos da RAM. O facto de apresentar listas próprias a todos estes concelhos é, para si, motivo de orgulho.

O independente João Sousa é, no seu entender, muito importante para Santana, porque os habitantes daquela localidade estiveram durante anos e anos sujeitos a uma governação do PSD, que “não contribuiu para o desenvolvimento sustentável”. Por isso perdeu eleições para o CDS há quatro anos, mas o partido “falhou também no seu projecto”, considerou.

“Se as pessoas de Santana querem efectivamente que Santana seja um concelho desenvolvido”, declarou, “têm de apostar na candidatura de João Sousa.

Por seu turno, este candidato referiu que quer activar os conselhos consultivos municipais, para que as forças vivas do concelho tenham voz activa no futuro da sua terra. Em segundo lugar, é sua intenção dinamizar a economia, aumentando o rendimento quer para trabalhadores, quer para empresários. A igualdade de oportunidades é outro objectivo, sem favores a “amigos, afilhados e compadres”.

“Esse é um tempo que terá de ser enterrado definitivamente, e derrotado nestas eleições”, disse.