Oficinas da Editorial Eco do Funchal fecham as portas por falência e trabalhadores vão para o desemprego

Na Estrada Conde Carvalhal, as oficinas da Editorial Eco do Funchal com portão fechado a cadeado. Fotos FN.

*Com Rui Marote

As oficinas da Editorial Eco do Funchal acabam de fechar portas na Estrada Conde Carvalhal após uma existência que já soma mais de três décadas. A Editorial foi fundada a 1 de março de 1941, por João da Silva, que era um sargento do exército.

O FN esteve nas oficinas e deparou-se com o portão fechado a cadeado, tendo os vizinhos confirmado o fecho da empresa que alegam ter ido à falência por razões de acentuadas dificuldades económicas. Segundo os vizinhos, as portas encerraram ontem, dia em que mais de uma dezena de trabalhadores foram informados oralmente do fecho da empresa, sem que, no entanto, tenham recebido as cartas de despedimento. É, pois, mais uma empresa tradicional na Região que sucumbe à  crise no mercado editorial e que deixa os trabalhadores no desemprego.

A empresa Rodrigues & Caldeira Lda é a proprietária da Editorial Eco do Funchal. O FN tentou auscultar a opinião do gerente mas não obteve resposta. Nenhum dos contactos estabelecidos para os números telefónicos da empresa tiveram retorno.

Junto às oficinas, na Conde Carvalhal, alguns vizinhos não disfarçavam a consternação pela ocorrência, sendo que um dos trabalhadores mais antigos reside mesmo junto à empresa.

Recorde-se que, esta empresa, conforme informação oficial, primava “por por prestar um serviço de qualidade na impressão, tendo para o efeito técnicos e máquinas adequadas”. Realizava ainda “todo o tipo de trabalhos gráficos, com destaque para o corte e vinco, estampagem a quente, estampagem dourada e impressão em relevo”.

Ao longo dos anos, muitos madeirenses recorreram aos valiosos préstimos da Editorial Eco do Funchal para impressão dos seus livros, revistas e outros trabalhos gráficos. A concorrência no setor, com a abertura de novas e mais modernas unidades empresariais, terá agravado a já frágil situação financeira da empresa que se viu forçada a fechar as portas por falência.