Secretários borda fora?

Governo que se preza remodela-se a si mesmo lá de tempos a tempos. Mesmo que tenha surgido sob a égide da “renovação”, periodicamente impõe-se a necessidade de “renovar” novamente, uma forma diplomática de alijar responsabilidades do líder e mostrar que o mesmo nada tem a ver com os aspectos menos populares do seu mandato.

Segundo o que se ouve por aí nos “mentideros” da cidade e inclusive em certos meandros do partido, Miguel Albuquerque prepara uma remodelação do seu Executivo lá para depois das eleições autárquicas, das quais se espera retirar algumas leituras transversais. E chegou aos ouvidos do Funchal Notícias – é claro que não podemos jurar pela verdade absoluta a cem por cento – que os principais candidatos a exílio nas Selvagens são a secretária regional do Ambiente, Susana Prada, o secretário regional das Finanças e Administração Pública, Rui Gonçalves, e, pasme-se, o ínclito supersecretário da Economia, Turismo e Cultura, Eduardo Jesus. Os primeiros por serem sobretudo técnicos, sem habilidade por aí além para lidarem com as subtilezas da política e por, levados na cantiga de certos lobbys e interesses, se terem metido em algumas encrencadas que vão tornando o governo menos popular; e o último pelas apostas desmesuradas em eventos caríssimos mas pouco populares junto da maioria da população, caso das regatas da Extreme Sailing Series, por desconforto na área cultural que transpirou para a opinião pública, por uma certa inabilidade na gestão de assuntos que muito interessam aos madeirenses, casos do subsídio de mobilidade, e mais outros pecadilhos que, enfim, vão volta e meia sendo mencionados.

Verdade ou especulação? “Wishful thinking” por parte dos invejosos? O FN não se arroga o direito de saber, mas vaticina que Albuquerque é menos fiel aos membros do seu Governo do que Jardim era – e mesmo este, a folhas tantas, deu guia de marcha a alguns. Veremos o que acontece depois de Outubro. Entretanto, deliciemo-nos com o cartoon de Hélder, no qual os visados surgem como os primeiros a ter a dúbia honra de serem atirados aos tubarões…