APRAM celebra amanhã o “Dia do porto”

A APRAM celebra amanhã, terça-feira, o “Dia do porto”, uma forma de assinalar os 55 anos do Porto do Funchal e de lembrar a importância desta infraestrutura no desenvolvimento da região, refere uma nota.

A 18 de Julho de 1962, os madeirenses conseguiram ver a concretização de uma aspiração de séculos: finalmente, a região passava a dispor de um porto com condições para a acostagem de navios e o imprescindível serviço de fornecimento de combustível líquido à navegação.

É essa data que o Conselho de Administração da APRAM quer evocar, ao celebrar a partir deste ano, o 18 de Julho como “Dia do porto”.

Desde muito cedo, a Madeira percebeu que o seu desenvolvimento passava obrigatoriamente por um porto em condições, fundamental para a criação de uma economia próspera e moderna. Mas, esse diagnóstico levou muito tempo a ser compreendido pelos políticos de Lisboa. Esse tempo infindo de espera, levou a que a nossa região perdesse competitividade no Atlântico, considera a APRAM.

Para o “Dia do porto”, a APRAM agendou uma série de iniciativas, num dia que se pretende seja de abertura à população que nas visitas guiadas poderá visitar áreas do porto que normalmente estão vedadas.

Antecipou-se uma iniciativa que deveria ocorrer em Outubro, “As Conversas no porto”. A primeira edição começa já nesta terça-feira às 17h00, com o objectivo, de se falar sobre o nosso porto em várias perspectivas, enquanto espaço permanente de mobilidade e em várias situações.

Segue-se uma Parada Náutica. A parte final é dedicada aos trabalhadores, estando prevista a entrega de placas alusivas a 41 trabalhadores, com mais de 35 anos de serviço.

Amanhã, às 14 horas, a gare portuária estará aberta para visitas guiadas.  Às 16h30 realiza-se uma visita à exposição sobre a História do Porto; e meia hora depois, haverá a palestra “Conversas no porto”, subordinada à temática “O porto na História e na memória”

Às 17h30 decorre a Oarada Náutica.

Às 18h15 decorre o convívio da APRAM, com funcionários e comunidade portuária e marítima, e, às 18h30, a entrega de placas alusivas aos trabalhadores com mais de 35 anos de serviço.