Coligação ‘Funchal Forte’ contra abandono da estação dos Viveiros

Hoje, a coligação ‘Funchal Forte’ promoveu uma iniciativa junto à Estação de Transferência e Triagem de Resíduos Sólidos (ETTRS), nos Viveiros.

O porta-voz da coligação, o ex vereador Gil Canha teceu fortes críticas à gestão desse espaço, da responsabilidade do Departamento do Ambiente da Câmara Municipal do Funchal.

“Muitos cidadãos e agentes turísticos questionam-se amiudadamente por que razão o Funchal está permanentemente sujo, desleixado, com os passeios encardidos, os equipamentos públicos continuamente conspurcados, jardins desmazelados, praças e ruas sem as necessárias varreduras, e pontos de recolha de lixo descuidados e atafulhados de lixo por recolher?!” questiona Gil Canha.

“A resposta para este desmazelo acentuado da cidade não é da responsabilidade dos funcionários, a culpa é do executivo camarário que só cá põe os pés em alturas do Natal, porque durante o resto do ano, nem a Vereadora responsável nem o Presidente da Câmara vêm cá acima ver como andam as coisas, quando é este o departamento que mais funcionários emprega. Nas anteriores Câmaras, os vereadores responsáveis por este departamento vinham todos os meses aos Viveiros, ver e acompanhar o seguimento dos trabalhos, atestar e aferir a operacionalidade das orientações emanadas do executivo, e, acima de tudo, com a sua presença, transmitiam o sentido de responsabilidade e ânimo aos funcionários e respectivas chefias, como aliás, faz qualquer empresário ou industrial que estime as suas empresas”, apontou.

Para o candidato, “um departamento com esta grandeza de magnitude não pode ser gerido às três pancadas a partir dum gabinete almofadado. Uma boa administração obriga a um acompanhamento de todas as etapas até o fim da cadeia de comando, é assim que se faz nas grandes empresas, nas intuições militares e nas administrações de condomínios. E o pior é que este triste quadro é extensivo a todos os departamentos da Câmara, onde o Presidente e a sua equipa executiva preferem fazer acções exteriores de propaganda e cosmética, que propriamente olharem pela administração interna da autarquia. É graças a esta conduta perniciosa que os funcionários camarários nunca viram tanta bandalheira e tanta desorganização na autarquia como agora”.

E aponta um caminho e um novo modo de actuação: “A coligação Funchal Forte promete que, caso seja eleita, o Presidente e o Vereador responsável pelo pelouro, visitarão a Estação de Transferência dos Viveiros pelo menos uma vez por mês, como também acompanharão mais amiudadamente os trabalhos de limpeza e jardinagem que a autarquia tem à sua responsabilidade na cidade do Funchal”.