União Europeia está a elaborar relatórios sobre situação na Venezuela

liliana2
Liliana Rodrigues questionou a União Europeia sobre a situação na Venezuela, onde a crise está a afetar, de um modo muito particular, a comunidade madeirense.

A Delegação da União Europeia na Venezuela e o Gabinete da Direção-Geral da Proteção Civil e das Operações de Ajuda Humanitária Europeias (DG ECHO) na região (estabelecido em Bogotá) estão a elaborar relatórios e a monitorizar a evolução da situação a nível da segurança e a nível político e socioeconómico, bem como o seu impacto nas condições de vida de muitos cidadãos europeus que são afetados pelas condições económicas e de segurança.

Estes dados foram transmitidos pela vice presidente da CE Federica Mogherini a Liliana Rodrigues, a eurodeputada socialista madeirense, que questionou as instituições europeias sobre as medidas em curso tendo em vista avaliar a situação na Venezuela e salvaguardar a comunidade portuguesa, entre ela uma vasta faixa de emigrantes madeirenses e luso-descendentes.

Na mesma resposta, agora dada a conhecer, a UE afirma ter já manifestado a sua “preocupação com a situação que se vive na Venezuela em diversas ocasiões, tanto nos seus contactos com as autoridades venezuelanas, como publicamente. Nas Conclusões do Conselho sobre a Venezuela, de 15 de maio de 2017, a UE insta o Governo da Venezuela a garantir a proteção e a segurança de todos os cidadãos europeus no país e a prestar a assistência necessária e manifesta a sua disponibilidade para cooperar com as autoridades nacionais nesse sentido”.

Nessas Conclusões, diz a mesma resposta, “o Conselho sublinhou igualmente que «a União Europeia espera que todas as instituições e intervenientes políticos venezuelanos trabalhem de forma construtiva para que se encontre uma solução para a crise no país, respeitando plenamente o Estado de direito e os direitos humanos, as instituições democráticas e a separação de poderes”.

Liliana Rodrigues diz que apesar da resposta da Comissão Europeia, irá continuar a acompanhar este dossier, pois “a situação vivida na Venezuela é problemática e encontra-se longe de um estado ideal” e considera ser “necessário encontrar uma solução para devolver a normalidade à vida dos cidadãos venezuelanos”.