Governo Regional garante que não permitirá qualquer interferência externa no sector da banana

A Secretaria Regional da Agricultura e Pescas veio hoje reagir a uma notícia veiculada na comunicação social regional sobre o sector da banana, asseverando que o Governo Regional não permite qualquer interferência externa.

A estratégia do sector da banana está bem definida pelo Governo Regional, garante o gabinete de Humberto Vasconcelos. “Depois de um período de falência total do sector, provocado pela má gestão das cooperativas onde os agricultores não recebiam a tempo e horas, onde as bananas eram deixadas em caixas no cais do Porto de Lisboa a se perderem e existiam muitos processos contra os responsáveis das cooperativas, entramos num período de grande crescimento de produção de banana na Madeira. A entrada de uma empresa de capitais públicos, solução encontrada, veio permitir acabar com os problemas no sector trazendo pagamentos a tempo e horas aumentando o rendimento aos agricultores e distribuição de lucros a todos por igual. Os números mostram a evolução do sector. Temos a banana mais bem paga e verificamos que a exigência do mercado obriga a cada vez mais certificações e investimentos, que hoje estão a ser realizados na segurança alimentar e nos métodos de produção”, refere a SRAP.

Mesmo com a perspetiva de diminuição da ajuda comunitária, serão mantidas as ajudas aos produtores, promete a Secretaria.

Segundo este órgão governamental, hoje, não é possível processar banana numa garagem e sem condições, o mercado não o permite. “Enquanto formos governo não iremos permitir qualquer interferência externa no sector como objectivo da sua destruição, tanto em valor como em qualidade. Os mesmos que hoje defendem o regresso das cooperativas ou associações, foram os mesmos que antigamente estiveram ligados à quase destruição deste sector”, garante a SRAP.

“A banana da Madeira está acima dos interesses pessoais e o Governo Regional continuará a defender todos os agricultores no aumento de rendimento numa política sólida e consistente na defesa de todos”, conclui o comunicado.