OCM interpreta em estreia o Concerto para Saxofone Alto e Orquestra de Anne Victorino d’Almeida

A OCM apresenta, no âmbito do ciclo “Jovens Solistas”  a primeira audição mundial do Concerto para Saxofone Alto e Orquestra de Anne Victorino d`Almeida.

A protagonizar o concerto estará o jovem e premiado saxofonista Elvis Sousa. Este concerto tem também a particularidade de marcar a estreia do experiente maestro Ernst Schelle com a Orquestra Clássica da Madeira.

^”Elvis Sousa, músico com uma personalidade musical marcante e técnica exuberante, teve a sua formação inicial no Conservatório Escola das Artes da Madeira na classe do Professor Duarte Basílio. Com um percurso reconhecido e premiado, Elvis Sousa interpretará em primeira audição mundial a estreia do concerto da compositora portuguesa, Anne Victorino d´Almeida para Saxofone Alto  e Orquestra”, refere comunicado da OCM.

Os bilhetes custam entre 20€ e 5€ e estão disponíveis na bilheteira do Teatro Municipal Baltazar Dias.

Ernst Schelle

Músico de origem berlinense, nascido em Potsdam em 1948, recebeu uma formação completa como violinista e como maestro. Aos 15 anos dirigiu o seu primeiro concerto em Lausanne. Da sua longa e diversificada carreira musical destaca-se a sua atividade como maestro, a qual teve início em 1968 com as Orquestras Suíças. Em 1978 é laureado pelo Concurso Internacional de Jovens Maestros de Besançon. Nomeado regente principal da Orquestra de Besançon a partir de 1979, cargo que ocupou até 1984, é convidado, em 1980, pelo Ministério da Cultura Alemão e Egípcio, a dirigir as temporadas musicais da Orquestra Sinfónica do Cairo As suas tournées internacionais com diferentes orquestras levaram-no por várias vezes aos Estados Unidos, assim como às principais capitais da Europa. Foi diretor musical da Academia Internacional de Portarlier (França) de 1985 a 1992. De 1990 a 1994 foi o maestro principal da Orquestra de Poitou-Charentes. Em 1994 funda a Associação AIDIMOS (Academia Internacional de Interpretação Musical para Orquestra Sinfónica) em Saintes, França, a qual reúne todos os anos mais de uma centena de músicos de toda Europa, sendo o seu diretor artístico. É, desde 1999, Maestro e Diretor Artístico convidado da Orquestra APROARTE (Associação Nacional do Ensino Profissional de Música e Artes). É frequentemente convidado a dirigir Orquestras em toda a Europa. A crítica tem-se manifestado da forma mais elogiosa acerca da versatilidade e correção das suas atuações, de Mozart a Stravisnski. Dirigiu vários concertos no Festival de inverno de Sarajevo e realizou uma gravação para CD com a Orquestra Filarmónica desta cidade. Paralelamente à sua atividade de maestro tem desenvolvido uma intensa atividade pedagógica e realizados diversos cursos de direção de orquestra. Maestro apaixonado pela diversidade de géneros musicais, Ernst Schelle é um pedagogo reconhecido no plano internacional pelos seus trabalhos no domínio da Arte Orquestral.

Elvis Sousa

O saxofonista Elvis Sousa pertence a uma nova e próspera geração de saxofonistas em Portugal.

Recebeu as suas primeiras aulas de saxofone na Banda Filarmónica da Casa do Povo de São Vicente e continuou a sua formação musical no Conservatório Escola das Artes da Madeira com o professor Duarte Basílio.

Finalizou com classificação máxima na classe de saxofone dos professores Henk van Twillert e Fernando Ramos na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto.

Continuou os seus estudos em França no Conservatório Regional de Versalhes, com o professor e concertista Vincent David.

Elvis Sousa arrecadou alguns prémios em Concursos Nacionais e Internacionais. De destacar, o 1º prémio no Concurso Internacional de “Chieri”, Turim, Itália; 1º prémio no Concurso Internacional “Terras la Sallette”, Portugal; 1º prémio no Concurso Internacional “Saxoporto”, Portugal; 2º prémio no Concurso Internacional “Leopold Bellan”, Paris, França; 3º prêmio no Concurso Internacional do festival saxofone de Brasília, Brasil; 1º prémio no Concurso Nacional “Paços Premium”; 3º prêmio no Concurso Nacional “El corte Ingles”.

Apresentou-se em recitais em diversos países tais como Portugal, Espanha, Itália, França, Países Baixos, Finlândia, Venezuela e Brasil.

Em 2017, tornou-se o primeiro saxofonista português a ser aceite no prestigiado Conservatório Nacional Superior de Música e de Dança de Paris.