“Um Sonho Soberano” eleito ‘melhor documentário -júri popular’ no Festin

Decorreu recentemente (de 1 a 8 de março de 2017), no Cinema São Jorge, em Lisboa, a 8.ª edição do FESTin (Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa).

No festival que tem o objectivo de fomentar a interculturalidade, a inclusão social e o intercâmbio cultural nos países de língua portuguesa, na categoria de melhor documentário– Júri popular, o público escolheu “Um Sonho Soberano” embora o Melhor Documentário tenha sido “Curumim”, de Marcos Prado.

Recorde-se que o filme de Gonçalo Portugal Guerra é sobre Renato Barros, o professor que se intitula Príncipe do Ilhéu da Pontinha, na Madeira.

Veja os premiados:

Melhor Longa-Metragem de Ficção: “Big Jato”, de Cláudio Assis

Melhor Longa-Metragem de FicçãoPrémio da Crítica: “Comeback”, de Érico Rassi

Melhor Longa-Metragem de Ficção – Júri popular: “Uma Vida à Espera”, de Sérgio Graciano

Menção Honrosa Longa-Metragem de Ficção: “BR 716”, de Domingos de Oliveira.

Melhor Realizador: Érico Rassi, de “Comeback”

Melhor Ator – Matheus Nachtergaele, por “Big Jato”

Melhor Atriz – Glauce Guima, por “BR 716”

Melhor Documentário – “Curumim”, de Marcos Prado

Menção Honrosa Documentário – “Todos”, de Marilaine Castro da Costa e Alberto Cassol

Melhor Documentário – Júri popular: “Um Sonho Soberano” de Gonçalo Portugal Guerra

Melhor Curta-Metragem – “Universo Preto Paralelo”, de Rubens Passaro

Melhor Curta-Metragem – Júri popular: “Kuru”, de Francisco Antunez

Menção Honrosa para Curta-Metragem – “Rosinha”, de Gui Campos

Melhor Infanto/Juvenil Júri Adulto – “Lua em Sagitário”, de Márcia Paraíso

Menção honrosa  Infanto/Juvenil Júri Adulto – “O projeto do meu Pai”, de Rosaria

Menção Honrosa Júri Infantil – “Pequenos Animais sem Dono”, de Maju de Paiva