Doente com grave problema renal lança SOS a pedir ajuda ao hospital

EXTERIOR DO HOSPITAL DR. NELIO MENDONCA / NOVO NOMENCLATURA 21/01/2015 FOTO ALBINO ENCARNACAO..

Ilídio Freitas é um doente que fez, através do FN, um SOS às autoridades regionais que tutelam a saúde na Madeira: precisa de ajuda hospitalar com alguma urgência.

Numa carta remetida a este jornal, começa por reportar-se ao dia de ontem, quando se dirigiu ao Hospital Dr. Nélio Mendonça “na esperança de ter uma consulta pós-transplante, com um dos médicos responsáveis por estas intervenções clínicas”.

Há alguns anos que este doente diz ter feito um transplante ao fígado no Hospital da Universidade de Coimbra. Desde então, tem sido bem orientado por um “excelente médico” da Região, de medicina interna, alegadamente na privada, apesar de não ser especialista na área a que foi submetido em termos de transplante. Porém, este médico não poderá encaminhá-lo para Coimbra mas sim através do Hospital local. Ontem, tentou marcar consulta com um dos médicos responsáveis por esta área porque não se está a sentir bem. Mas as coisas não terão corrido bem: “Qual não foi o meu espanto quando este responsável me diz que só poderá atender-me em Novembro! Estou a perder proteínas na urina e tenho as pernas inchadas com retenção de líquidos. Conclusão, estou com problemas de rins. Pergunto: será que os meus rins esperam até Novembro ou a deterioração é inevitável?”, questiona.

Este doente tem consciência do grande afluxo de doentes que passam pelo Hospital diariamente e das limitações de recursos. No entanto, acredita que, se houver compreensão por parte os responsáveis, alguém poderá ajudá-lo a sair desta situação aflitiva, aliás como já aconteceu com outros doentes, noutros casos.

2 anos à espera de operação

Sem mencionar as razões que levaram este doente a optar por ser seguido por um outro especialista, que não da patologia grave que o afeta, enuncia também outra situação. Os problemas de saúde de Ilídio Freitas não se ficam por aqui. Além do grave problema que já referiu, conta que está à espera de ser operado a uma hérnia inguinal, há mais de 2 anos em lista de espera”. Graças a este problema, revela que já foi “às urgências com imensas dores mas a resposta do cirurgião é a de que só operam quando estiver estrangulado. Das duas uma: ou sou operado de urgência ou tenho 24 horas se rebentar o intestino. Será assim tão difícil me encaminharem para Coimbra onde sempre me senti bem tratado e acarinhado? Ou vão pôr-me a sofrer durante mais algum tempo até já não ser possível recuperar os rins?”