Para quando, afinal, a conclusão do lar de idosos em eterna construção no Hospício?

velhos_amigosChegámos a um tempo em que envelhecer não deixa de ser duplamente penoso. Já não basta o peso da idade e, quando a necessidade obriga, conseguir vaga num lar é uma verdadeira descida aos infernos. É o país que temos, envelhecido, impreparado para o envelhecimento e a tornar um inferno a vida das famílias sem soluções para os seus idosos. Logo, nem novos nem velhos têm qualidade de vida.

Vem isto também a propósito do novo lar privado que está a ser construído, por conta do Externato Imperatriz Dona Amélia (mais conhecido por Hospício) e que já mereceu uma nota de reportagem no FN. A obra está prestes a ser concluída, mas continua por concluir. É este o facto. Os familiares aguardam para ali encaminharem os seus idosos mas confrontam-se com as crónicas demoras das empreitadas. Passam pela obra e veem dois trabalhadores em ritmo lento a dar andamento aos trabalhos e ficam ainda mais incrédulos e apreensivos.

Este investimento, que conta com o alto patrocínio da coroa Sueca, a quem não falta dinheiro, tropeça nos crónicos atrasos da construção made in Portugal e ninguém consegue encaixar as razões, apesar das recentes explicações do seu responsável ao FN. As soluções para os idosos são sempre para ontem e não para amanhã, porque podem vir tarde. Os idosos correm contra o tempo…