Substâncias utilizadas nos sabonetes antibacterianos proibidas por poderem apresentar risco para a saúde

/LC/

Imagem: mundodastribos
Imagem: mundodastribos

Por LUSA

Várias substâncias utilizadas nos sabonetes antibacterianos e cosméticos foram proibidas, por poderem apresentar risco para a saúde sem serem eficazes contra os micróbios, pela agência norte-americana que controla os alimentos e medicamentos, através de testes e pesquisas (FDA).

A decisão, anunciada sexta-feira, abrange 19 ingredientes, sendo os mais utilizados o triclocarban e o triclosan, suspeitos de serem disruptores endócrinos.

Mas esta proibição não afeta os desinfetantes ou outros produtos antibacterianos utilizados em hospitais e centros médicos.

Os fabricantes têm um ano para remover as substâncias ofensivas dos seus produtos ou retirá-los do mercado, disse a FDA em comunicado.

“Os consumidores podem pensar que estes sabonetes antibacterianos são eficazes para impedir a propagação dos germes, mas não dispomos de nenhuma indicação científica que mostre que são melhores do que o sabão comum ou do que a água”, sublinhou Janet Woodcock, diretora do centro de avaliação e de pesquisa da FDA.

Segundo Theresa Michele, responsável da divisão de produtos não farmacêuticos, a maioria dos mais de 2.000 produtos antibacterianos atualmente no mercado contêm pelo menos uma das substâncias proibidas.

Segundo a FDA, vários grupos industriais como a Johnson & Johnson e a Procter and Gamble já tomaram medidas para progressivamente abandonarem estas substâncias.