Dois sismos registados no planalto submarino Madeira-Tore

Madeira-toreNos últimos dois dias, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) detetou dois sismos no planalto submarino Madeira-Tore.

Um dos sismos, de magnitude 3,1, foi registado às 08h44 do dia 31 de Agosto. O outro, de magnitude 2,7, foi registado também no Madeira-Tore, às 22h15, do dia 30 de Agosto.

Madeira-tore2Refira-se que em águas marinhas portuguesas, a longa distância da costa, há dois importantes conjuntos de relevos submarinos, os arquipélagos submarinos Great Meteor e Madeira-Tore.

O Madeira-Tore é um elevação submarina que se estende ao longo de cerca de 700 km, unindo a Madeira ao monte submarino Tore (entre o Continente e a Madeira).

Efetivamente, a Oeste da Madeira, um relevo submarino alongado segundo NE-SO, cujo topo é um planalto subaquático situa-se a cerca de 1800 metro acima da Planície Abissal, o qual passou a ser designado por “Madeira –Tore Rise”.

madeira-tore3O conjunto de altos fundos que fazem parte desta crista (Madeira –Torre), bem como os maciços vulcânicos da Madeira e Porto Santo, ocupam efectivamente a designada “Madeira – Tore Rise”.

A ilha da Madeira constitui o extremo Sudoeste da “Crista Madeira –Tore” que se estende por cerca de 1.400km, englobando a ilha do Porto Santo e as elevações do fundo marinho denominadas Dragon, Lion, Josephine, Ashton e Tore a ocidente e a Cordilheira Vulcânica da Madeira a oriente constituída por montes submarinos que formam um trilho em direcção à ilha.

madeira-tore4A crista atravessa a fronteira das placas litosféricas dos Açores e de Gibraltar, separando dois troços de características distintas a nível de sismicidade e morfologia submarina, em distintos ambientes geodinâmicos.