De Moscovo à Prainha no Caniçal, as histórias

/LC/

Foto: LC
Polina e Alessia na Prainha, Caniçal Foto: LC

O  FN esteve esta semana no Caniçal, na Prainha, pequena praia de areia natural, frequentada por turistas e madeirenses. Foi aqui que o FN encontrou e encetou uma conversa com duas turistas russas que decidiram passar 17 dias em Portugal, 7 dos quais na Madeira, sendo os restantes passados em Lisboa, Porto e arredores.

Foto: LC
Prainha, Caniçal Foto: LC

Porquê  Portugal? Por o nosso país estar no top 10 dos países mais seguros para viajar, respondeu-nos Alessia Kours. No entanto, a sua razão para visitar e revisitar a Madeira tem outras histórias.

Palácio de Schönbrunn, Vienna Imagem fatonovo.com1
Palácio de Schönbrunn, Viena Imagem: fatonovo.com

Alessia, que já foi professora universitária, agora representa uma empresa de investigação e fabrico de medicação para cancro e diabetes. Fala fluentemente inglês e alemão e explicou-nos que em 2007 estivera em Viena, Áustria, e visitou o  Palácio de Schönbrunn, uma das principais atrações turísticas da cidade desde o século XIX. Aí conheceu a história do Imperador Carlos I da Austria (1887-1922),  último imperador austro-húngaro, o seu exílio e morte na Ilha da Madeira.

Foi nessa visita à Áustria que Alessia ouviu falar da Madeira. Interessou-se pelas memórias da Imperatriz Isabel da Baviera e Imperatriz da Áustria, nascida em 1837 e mais conhecida por Sissi. Esta imperatriz viveu também na Madeira durante dois períodos, sendo assassinada  em Genebra a 10 de setembro de 1898. Além de ler as suas memórias, Alessia viu também o filme sobre a vida de Sissi.

Imagem: helloguidemadeira
Estátua da Sissi no Funchal Imagem: helloguidemadeira

Em 2014 Alessia visita então a Madeira pela primeira vez, seguindo-se agosto de 2016, desta vez acompanhada pela sua amiga Polina Glushkova, que já foi professora de Literatura Russa, encontrando-se neste momento a trabalhar na indústria cinematográfica na área da publicidade.

Polina salienta que na  obra Jane Eyre , romance publicado em 1847 da escritora inglesa Charlotte Brontë (1816-1855), também existem referências à Madeira. O tio da personagem principal, John Eyre, um aristocrata inglês ligado ao vinho, vive na ilha e quer que a sobrinha viaje também até à Pérola do Atlântico; romance adaptado também para filme. Tudo isso foi aumentando a curiosidade de conhecer pessoalmente a nossa ilha.

Jane_eyre_FILME

É certo que a Madeira está a ficar conhecida como destino turístico na Rússia por meio da publicidade que é feita pelas agências, no entanto, neste caso, tudo começou pela história austro-húngara, passando pela literatura inglesa até chegar a solo madeirense.

Prainha agosto 2016, Alessia e Polina 2
Foto: LC

Ficam as imagens da Prainha e das duas simpáticas turistas russas que escolheram a Madeira para passarem as suas férias de Verão. Que venham mais.

Prainha2
Foto: LC