JPP força maioria a debater agricultura familiar

Câmara de Lobos-12A manutenção dos canais de rega, os atrasos significativos no PRODERAM e os apoios concedidos pelo Governo Regional aos agricultores serão temas em destaque, na próxima quinta-feira, 16 de junho, no Parlamento Regional, durante o debate potestativo sobre a Agricultura Familiar na Região Autónoma da Madeira, pedido pelo Grupo Parlamentar do Juntos Pelo Povo (JPP).

“É um setor que passa por diversas dificuldades, mas que tem demonstrado ser uma área estratégica e de grande importância para a Região, quer na vertente económica, quer social, já que atualmente cerca de 40 mil pessoas dependem diretamente desta atividade”, lembrou Rafael Nunes esta manhã, em conferência de imprensa.

O deputado do JPP aponta para “uma série de condicionalismos, no que concerne à prática agrícola”, apesar desta área ter sido identificada como um pilar orientador da estratégia do Governo Regional”. Neste sentido, é fundamental saber, junto dos secretários da tutela, nomeadamente do Ambiente e Recursos Naturais e da Agricultura e Pescas, “por que se arrastam estes problemas e que políticas integradas e sustentadas estão previstas para este setor”.

Para preparar este debate, o JPP esteve reunido com diversos parceiros sociais desta área, “no sentido de auscultar os principais intervenientes e, assim, perceber as problemáticas que atingem os agricultores”. Ao longo do último mês, os deputados do Juntos pelo Povo reuniram com a Associação dos Jovens Agricultores da Madeira e do Porto Santo (AJAMPS), Cooperativa Agrícola do Funchal (CAF), OrganicA, Associação de Agricultores da Madeira (AAM) e Associação de Produtores do Porto Santo.

No final da conferência de imprensa desta segunda-feira, 13 de junho, dando conta do agendamento do debate sobre a agricultura familiar, o deputado Rafael Nunes deixou um apelo:

“Gostaríamos de convidar os cidadãos a estarem presentes nas galerias da Assembleia reservadas ao público, na próxima quinta-feira, para ouvirem as questões feitas pelos deputados e também as respostas dadas pelos governantes, para os problemas que afligem os agricultores”.