UMAR saúde Dia Mundial da Criança e alerta para problemas da pobreza

 

A alegria das crianças, só por ver um estrangeiro
foto Rui Marote

A UMAR/Madeira saúda, em nota de Imprensa, mais um Dia Mundial da Criança, desejando que às mesmas seja dado o direito de brincarem e serem felizes.

“Infelizmente no mundo ainda existem 250 milhões de crianças que não conseguem aprender a ler e 57 milhões que nem à escola conseguem chegar. A UNICEF diz que 165 milhões estão subnutridas e 80% em apenas 14 países. Existem multinacionais a explorarem milhares de crianças em fabricação do chocolate. Só na Costa do Marfim existem cerca de 4.000 crianças em trabalho forçado na produção do cacau”, refere a União de Mulheres Alternativa e Resposta.

Na Europa e em Portugal, denuncia, muitas são também as crianças em situação de pobreza e a subnutrição já vai sendo uma dura realidade.

“Infelizmente em diversos Países ainda é permitido arranjar casamentos entre mulheres crianças e homens adultos e em outros ainda praticam a mutilação genital feminina em meninas tirando-lhes o prazer sexual como se isso fosse pecado”, critica.

“Claro que, felizmente, existem crianças felizes e bem cuidadas a quem a família faz tudo para que o essencial não falte. A todas estas crianças, qualquer que seja a sua idade e condição social, desejamos que a vida lhes reserve um melhor futuro, mais igualitário e mais justo. Um mundo para as crianças deve ser construído nos princípios da democracia, da Igualdade, da não discriminação, da paz e da justiça social seguindo os princípios estabelecidos na Declaração Universal dos direitos da criança”, constata a organização.

A UMAR Madeira ao fazer estes alertas tem a preocupação de que a luta para que as crianças sejam realmente felizes ainda está muito atrasada em muitos lugares do mundo. “Queremos que deixem as crianças brincar e serem felizes para que o mundo se torne melhor e mais justo. As crianças são o melhor do mundo”, sublinham.