‘Nós Cidadãos’ denuncia degradação do Jardim de Santa Luzia

Cidadãos1
Fotos Nós Cidadãos.

Em setembro próximo o Jardim de Santa Luzia fará 12 anos desde a sua abertura ao público e, se é verdade que o mesmo veio recuperar, em termos ambientais, uma área deixada ao abandono por muito tempo, no cento da cidade, agora, é o próprio jardim que necessita de ser recuperado, ou melhor, revitalizado.

A denúncia é do partido ‘Nós Cidadãos’, pela voz da coordenadora regional Filipa Fernandes.

Segundo o partido as obras que antecederam a sua inauguração foram da incumbência do Governo Regional, presidido, então, por Alberto João Jardim (nomeadamente, a Secretaria Regional do Equipamento Social) em parceria com a Câmara Municipal do Funchal (CMF) e, até novembro de 2013, a gestão e manutenção do jardim era responsabilidade da CMF, governada pelo PSD/Madeira, na figura do atual Presidente do Governo Regional, Dr. Miguel Albuquerque.Cidadãos2

Ora, logo após as eleições de 29 de setembro de 2013, o Governo Regional da Madeira retira, por despacho, à nova e atual governação da coligação MUDANÇA da CMF, a gestão do Jardim de Santa Luzia facto ocorrido em Novembro de 2013 e desde aí o espaço que era o novo “pulmão” da cidade, um amplo espaço verde (procurado diariamente para momentos de lazer ou para a prática desportiva ao ar livre) com uma arquitetura paisagista contemporânea, dividido em cinco zonas diferenciadas (Jardim da Laurissilva, Jardim dos Socalcos, Jardim da Água, Jardim Tropical e Jardim do Anfiteatro), entrou num período de manifesto abandono e desinteresse por parte de quem o administra.

No entanto, o problema não acaba aqui. A zona designada por Jardim da Água, que representa o relevo acidentado da ilha e as quedas de água (características da paisagem madeirense), afigura-se desde à já algum tempo, sobretudo para os moradores na envolvência do jardim, como um desafio e preocupação constantes derivado à situação de estagnação e “verdete” (formação de algas na água) em que se encontram as suas águas e, sobretudo por esta ser uma potencial fonte de criação do famoso mosquito transmissor do vírus da febre de dengue (Aedes aegypti), detetado na freguesia desde 2005, e que agora com o início da primavera e calor poderá trazer problemas acrescidos para a saúde publica da população.

Cidadãos3O Nós, Cidadãos! – Madeira, que é por uma cidadania participativa e ativa, considera inaceitáveis para os cidadãos o estado de deterioração do espaço público de lazer e dos espaços verdes em que se encontram alguns dos equipamento do Jardim de Santa Luzia, e lembra a Secretaria e Direção Regional competentes, que apesar dos constrangimentos financeiros e orçamentais de que a região ainda padece, cabe às mesmas a assunção de responsabilidades civis contratuais ou extracontratuais por danos decorrentes da sua função/inércia administrativa.