Funchal Jazz custa 200 mil euros para duas edições

Paulo CafôfoO Funchal será invadido entre 14 e 16 de Julho por grandes nomes do Jazz, alguns deles vencedores de prémios Grammy.

A temática é nota de destaque positivo da webletter desta semana do presidente da Câmara do Funchal (CMF) Paulo Cafôfo.

“Este ano optou-se novamente por um concurso para a organização deste festival, mas por um período de dois anos, por um valor total de 199.900 euros. Quatro dos maiores nomes do jazz mundial, marcarão presença no Parque de Santa Catarina, com destaque para António Sanchez, condecorado como baterista do ano e vencedor de 5 prémios Grammy, bem como o enorme Gregory Porter, uma das melhores vozes do Jazz e de quem sou particularmente fã”, refere o edil.

Como destaque negativo, Paulo Cafôfo insiste na matéria da Saúde e aponta a falta de ética de Maria Luís Albuquerque no caso Arrow.

A antiga Ministra das Finanças foi contratada para a administração da Arrow Global. Esta empresa britânica de gestão de dívida, esteve envolvida na avaliação de ativos tóxicos do BANIF. Lembremo-nos que Maria Luís de Albuquerque, nas suas funções de Ministra, tinha como competência a gestão de divida pública nacional e a salvaguarda do sector financeiro. Informações adicionais referem que os novos patrões de Maria Luís Albuquerque terão recebido benefícios fiscais de 318,7 mil euros entre 2012 e 2014. Mais do que questões de incompatibilidade esta promiscuidade tem de ser investigada”, refere.

O tema de fundo abordado esta semana por Paulo Cafôfo tem a ver com a mudança de ciclo político protagonizada pela tomada de posse do novo presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. O título da crónica é “Rei morto, rei posto”.