“Espero que os militantes revejam em mim a pessoa ideal para liderar o futuro da Jota”

Carolina Silva1
Foto Élvio Fernandes (ALM)

A jovem deputada, Carolina Silva assumiu a sua candidatura à liderança da JSD-Madeira. O congresso é a 16 e 17 de Abril, em Machico. Em entrevista ao Funchal Notícias, a candidata espera merecer a confiança dos militantes uma vez que, na corrida, deverá entrar também o líder da concelhia da JSD-Funchal, André Alves.

FN: O que é que a leva a concorrer à liderança da JSD-Madeira?

CAROLINA SILVA: Pessoalmente adoro desafios e encaro a liderança à JSD Madeira como um dos maiores desafios a que até hoje me propus. A JSD Madeira, enquanto grande escola social e política, já me concedeu tanto em conhecimento, amizade e participação, que me sinto também na condição de dar à estrutura e aos militantes o meu contributo, bem como a minha total motivação e entrega.

FN: Preferia ser candidata única ou o aparecimento de um outro candidato incomoda-a?

C.S.: Para a JSD Madeira é sempre bom a existência de dois candidatos, uma vez que mostra que a estrutura está viva, que há vitalidade por parte dos militantes. No fim, deverá ganhar sempre a JSD Madeira que congregará o melhor das candidaturas, não só em ideias e desafios, mas também nos futuros quadros políticos.

Carolina SilvaFN: O facto de ser mulher numa ‘jota’ até agora liderada por homens à excepção de Nivalda Gonçalves e Vânia de Jesus, é uma vantagem ou uma desvantagem?

C.S.: Em nenhum momento senti alguma resistência ou obstáculo pelo facto de ser mulher. Pelo contrário, espero e tenho forte convicção de que seja uma vantagem e espero que os militantes revejam em mim a pessoa ideal para liderar o futuro da Jota.

F.N: Houve mesmo ‘jogadas’ para antecipar o congresso para que um colega seu deputado ainda estivesse a tempo/idade de concorrer?

Carolina2
Foto Élvio Fernandes (ALM)

C.S.: Não serei eu a pessoa ideal para responder a esta questão, desconhecendo essa situação.

FN: O congresso está marcado para 16 e 17 de Abril, em Machico, qual vai ser o título da sua moção?

C.S: A ideia a fixar é: Pela juventude, uma Jota Autónoma!

F.N: Indique três medidas que considera cruciais para a juventude, nos tempos que correm, e que os políticos podem ajudar a resolver.

C.S.: Nos dias que correm é fácil apontar os maiores problemas que dizem respeito à juventude. Contudo, apesar das soluções políticas em vigor que mostram efetivamente intenção de combater determinados problemas, como o desemprego jovem, o certo é que a emigração dos jovens cada vez mais qualificados continua a ser uma constante, que as dificuldades de emancipação dos jovens é cada vez maior, que os critérios de apoio concedido no arrendamento jovem não estão ajustados à realidade vivenciada na R.A.M. A principal orientação será sempre criar condições por forma a mostrar aos jovens que o seu futuro permanece e reside em Portugal.