‘Endless’ regressa hoje à cena no Teatro Municipal

j346-2157-cópia.jpg.jpeg

As fotos de Rui Marote reflectem bem o significado de uma das visitas a locais marcados por uma carga histórica muito peculiar, e que influenciaram a criação do espectáculo ‘Endless’, da companhia ‘Dançando com a Diferença’. ‘Endless’ é uma criação de Henrique Amoedo que foi estreada em 2011, e que hoje volta de novo aos palcos, numa apresentação marcada para as 15 horas, no Teatro Municipal Baltazar Dias.

As imagens captadas pelo nosso repórter fotográfico dizem respeito à Colina das Cruzes, na Lituânia, um local com um impacto visual e uma carga emocional muito grande. Trata-se de um sítio de peregrinação católica onde, ao longo de séculos, os fiéis foram colocando muitas cruzes de todos os tamanhos, esculturas, terços e estátuas da Virgem Maria. São literalmente mais de cem mil cruzes que ali se concentram, numa manifestação de luto que, segundo se conta, teve origem nas expressões de pesar de familiares de lituanos que foram enviados para o exílio siberiano pelos russos. Aqueles que eram enviados para a Sibéria eram quase imediatamente dados como mortos pelos seus familiares. Os mesmos colocavam então naquele lugar uma cruz em sua memória.

j346-1816-cópia.jpg.jpeg

O espectáculo nasceu do contacto de membros do ‘Dançando com a Diferença’ com a Colina das Cruzes, bem como o Memorial do Holocausto, em Berlim, e os campos de concentração de Auschwitz-Birkenau, na Polónia.

Foto Rui Marote
Foto Rui Marote

Estes contactos foram estabelecidos quando, em 2010, em Berlim, Alemanha, ocorreu o primeiro encontro do Motivated by Art, Art of Motivation, o Ma-Ma Project, com parceiros da Alemanha, Estónia, Lituânia, Polónia e o Dançando com a Diferença, de Portugal. Este projecto de intercâmbio artístico foi apoiado pela Comissão Europeia e resultou na estreia de ‘Endless’ na Casa das Mudas, quase dois anos mais tarde. Enquanto durou este intercâmbio, membros do Dançando com a Diferença tiveram a oportunidade de visitar os países dos parceiros, em residências artísticas.

Foto Rui Marote
Foto Rui Marote

Este espectáculo utiliza a dança, a música e o vídeo para questionar a condição humana, a vida, a degradação do corpo e a nossa única certeza, a morte. “Sem fim? Talvez. Um espectáculo onde a crua realidade é levada à cena de forma bela e dura”, assim o descreve o Dançando com a Diferença.

Foto Rui Marote
Foto Rui Marote

‘Endless’ já fora apresentado também em 2015, no âmbito do Festival Literário da Madeira. “Pela necessidade urgente de estarmos atentos ao que nos rodeia”, o Dançando com a Diferença optou por incluir esta obra na sua temporada de espectáculos de 2016.

Este ano colaboram também nesta produção a Direcção de Serviços de Educação Artística e Multimédia (DSEAM), a Escola de Dança do Funchal (EDF) e o Teatro Experimental do Funchal (TEF).

Foto Rui Marote
Foto Rui Marote

O primeiro espectáculo, como dissemos, acontece hoje pelas 15 horas. Seguem-se outras duas apresentações, uma no dia 5 de Março pelas 21h30, e outra no dia 6 de Março pelas 18 h. Os bilhetes custam 10 euros, sendo que crianças até aos 8 anos, estudantes e cidadãos séniores pagam 5 euros. Os bilhetes podem ser adquiridos no Teatro Municipal.

‘Endless’ tem coreografia de Henrique Amoedo (com a colaboração de Telmo Ferreira e Joana Caetano), concepção e direcção artística também de Amoedo, e direcção musical de Pedro Temtem. Nele participam seis músicos e oito cantores.O elenco é amplo, integrando muitos intervenientes em palco.