Presidente do Conselho Europeu diz aos migrantes que “não venham”

donald-tusk_2784050b.jpg

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, avisou os imigrantes económicos ilegais para que não venham para a Europa, dizendo-lhes que “estão a arriscar a sua vida e o seu dinheiro para nada”.

Donald Tusk está de visita à Grécia e à Turquia numa tentativa de obter acordos que permitam reduzir o fluxo de migrantes que rumam a Ocidente. Mais de 25 mil migrantes ficaram retidos na Grécia por causa de novas restrições fronteiriças a norte, criando receios de uma crise humanitária. Muitas pessoas estão a dormir ao relento e sem condições.

Na quinta-feira, um grupo de migrantes bloqueou uma linha férrea na fronteira com a Macedónia, para protestar contra as restrições. As mesmas, diz a BBC, foram estabelecidas depois de vários países dos Balcãs decidirem receber apenas migrantes oriundos da Síria e do Iraque. A Áustria impôs também limitações de números.

As restrições implementadas de facto barraram a passagem a milhares de pessoas que procuravam alcançar a Europa Ocidental, incluindo afegãos, tendencialmente classificados como migrantes económicos.

Donald Tusk declarou que os estados membros da União Europeia devem evitar tomar medidas unilaterais para lidar com a crise de refugiados.

Entretanto, o primeiro-ministro britânico David Cameron e o presidente francês François Hollande discutiram problemas de segurança e migração, incluindo as condições dos refugiados no porto de Calais, onde milhares de migrantes que esperam pela oportunidade de entrar no Reino Unido têm vivido em condições difíceis.

François Hollande avisou sobre as consequências para o tratamento dos migrantes que visam ir para a Grã-Bretanha, se esta votar pelo abandono da União Europeia num referendo em Junho.