Comissão política do CDS-Madeira repreende “a professora Isabel Torres”

cds1
Fotos DR

A Comissão Política regional do CDS-PP, reunida ontem à noite, decidiu “repreender a Professora Isabel Torres, por ter tomado unilateralmente decisões que não obtiveram o consenso do presidente do partido, tendo vindo para a praça pública questões que são do foro interno do CDS. Situação que todos os membros da Comissão Política repudiam veementemente”.

Em causa está a querela partidária interna relativamente à substituição do adjunto da vice-presidente do parlamento regional, Isabel Torres.

“A Comissão Política apela a todos os seus membros, assim como aos demais eleitos do CDS para vários órgãos aquando do último congresso de Dezembro, que pautem a sua atuação pela dignificação do partido, pelo interesse coletivo da instituição CDS Madeira e não pelo interesse individual, agindo em prol do bem comum e do bom nome do partido”.

“A Comissão Política regional do CDS/PP, reprova os factos vindos a público que colocaram em causa a estabilidade política interna e o bom nome do partido. A Comissão Política concorda com a atitude responsável do presidente do partido, demonstrando-lhe total solidariedade neste processo e depositando nele um voto de confiança”, revela o comunicado.

A Comissão Política entende que devem ser preservados de forma abnegada os valores do CDS até às últimas consequências, assim como o bom nome e a honorabilidade dos seus dirigentes e de todos quantos dão a cara pelo partido.

Segundo o partido da Rua da Mouraria, “todo e qualquer assunto do foro interno do partido que viole o bom nome das pessoas eleitas democraticamente no último Congresso e ponham em causa a legitimidade do presidente do partido e de quaisquer membros da sua Comissão Política, assim como de outros membros pertencentes aos demais órgãos partidários, todos eleitos democraticamente e com a maior votação de sempre em Congresso, terão tratamento em conformidade, reservando-se a Comissão Política a agir de forma firme e determinada”.