Secretário de Estado e Sérgio Marques pretendem fornecer maior apoio às Comunidades Madeirenses

(*LC)

Sérgio Marques apresentou sozinho as conclusões. Resta saber se "vai dar baile" aos seus antecessores em matéria de emigração.

O Secretário Regional dos Assuntos Parlamentares e Europeus, Sérgio Marques, esteve reunido com o Secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, no dia 26 de janeiro, sendo que o representante nacional elogiou os mecanismos criados pelo Governo Regional que possibilitam a representatividade das Comunidades Madeirenses junto da Região e demonstrou a sua disponibilidade para vir ao Fórum Madeira Global, em Agosto, num convite feito pela Secretaria.

O Secretário de Estado reconheceu a falta de recursos nalguns postos consulares e já pediu que lhe fossem indicadas as principais e mais urgentes necessidades, estando disponível para reforçar esses recursos onde se constatar mais prioritário.

Após demonstrar disponibilidade para cooperar, a nível institucional com o Governo Regional, José Luís Carneiro informou que será revisto o protocolo entre a Secretaria de Estado e a SRAPE, sendo que “tem por objecto áreas em que ambos os organismos tenham interesse manifesto, que contribua para melhorar as acções que apoiem os cidadãos nacionais que pretendam emigrar e dos que se já se encontram a residir e, ou a trabalhar no estrangeiro”. Além disso, pretende que apoiem, incentivem e acompanhem o seu regresso a Portugal, assim como as que garantam a divulgação de informação relevante para o exercício dos seus direitos e deveres, que melhorem a qualidade da recolha e da divulgação dos dados estatísticos oficiais sobre os fluxos migratórios, que apoiem o associativismo e que promovam e favoreçam o conhecimento da cultura portuguesa.

José Luís Carneiro pretende dotar os Gabinetes de Apoio ao Emigrante de novas valências, estando aberto a uma concertação com a Região e quer desenvolver iniciativas que estimulem à participação política e democrática por parte das comunidades portuguesas, não apenas nos actos eleitorais nacionais mas também naqueles desenvolvidos nas comunidades onde estão inseridos.

Fonte: madeira.gov