Monteiro de Aguiar: o percurso controverso do sindicalista e deputado

memórias-posse monteiro aguiar já falecido
FOTO RUI MAROTE

O sindicalismo é uma forte componente da dinâmica cívica de uma sociedade democrática. O FN presta hoje homenagem a uma voz que durante anos defendeu os funcionários públicos, na qualidade de dirigente sindical, pese embora o seu percurso polémico. Falamos de Monteiro de Aguiar.

Além de ser uma figura de referência na história do sindicalismo da função pública, logo após o 25 de abril, Monteiro de Aguiar teve créditos firmados na política: primeiro como deputado eleito pela Madeira à Assembleia Constituinte, pelas listas do PS; mais tarde, juntou-se ao PSD/M, uma viragem política que a esquerda não a acolheu de bom grado e que gerou muita, muita celeuma dada a rotação ideológica.

Nesta foto, Monteiro de Aguiar assina a sua tomada de posse, no Palácio de São Lourenço, como membro da Junta Governativa, com a pasta da Saúde e Hospitais.

Uma vida de luta num misto de política e sindicalismo, mais virada à direita, que os madeirenses bem conheceram em sede da Assembleia Legislativa da Madeira.

O percurso do combatente termina em 2007, vítima de doença súbita. A Madeira ficou mais pobre. Mas passou o vício da política à filha, Cláudia Aguiar, que é hoje eurodeputada pela lista social-democrata no Parlamento Europeu.