Maria Isabel: “O obstáculo mais difícil de superar na universidade é a Saudade”

coimbra 4
Maria Isabel Monte estreia-se em Coimbra nos estudos superiores.

O FN pretende acompanhar o rumo de alguns estudantes madeirenses que iniciaram os seus estudos superiores no Continente. O objetivo é dar-lhes voz, colocando na primeira pessoa o impacto da mudança, as primeiras impressões, as dificuldades com que se deparam e os sonhos que nortearam este passo decisivo.

Coimbra, a poética e histórica cidade dos estudantes. Foi esta a opção de Maria Isabel Monte. Uma madeirense apaixonada pela área ambiental e que entrou no curso de Saúde Ambiental, na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra ( ESTeSC).

“Não pude acreditar quando vi o resultado da minha candidatura à primeira fase do ensino superior. Fiquei colocada em Coimbra, intitulada “a Cidade dos Estudantes”. Entrei no curso que queria e onde queria. Sinto-me realizada.

    coimbra 3Dia 7 de Setembro de 2015: já estava de partida. Foi um momento duro, mas senti que era isto mesmo que estava a precisar, criar a minha autonomia, abraçar um grande desafio e lá parti.

Como já estava à espera, achei Coimbra uma cidade encantadora, onde os residentes são hospitaleiros e sempre dispostos a acolher com simpatia os estudantes.

    Os obstáculos que vão aparecendo, nunca se igualam ao mais difícil de superar, a Saudade. Apenas passaram três semanas e sinto imensas saudades da minha família, dos meus amigos, do ambiente calmo a que estava mais acostumada. Só os voltarei a rever na véspera de Natal…

     A nível académico, tenho a dizer que fui muito bem recebida, tanto pelos serviços que a Universidade de Coimbra possui, como também pelos colegas de curso, sendo eles de 1º,2º,3º e 4º anos.

coimbra 2
Maria Isabel com os colegas, já em Coimbra.

     As praxes que presenciei do meu curso têm sempre como objetivo a união e a integração dos alunos que entraram na universidade pela primeira vez, como eu. Temos feito muitas atividades divertidas e dinâmicas, em que é fácil socializar e interagir com todos. Ainda nos ensinam a respeitar o próximo e a trabalhar em equipa. Por vezes, fazemos pequenos convívios após o jantar com a finalidade de falar sobre o que correu bem e o que correu mal durante o dia.

   Vim para esta linda cidade atrás de um sonho. Na minha opinião, estou no bom caminho. Resta-me continuar com esta motivação para conseguir bons resultados académicos a fim de conseguir acabar o curso e poder afirmar que dei o meu melhor”.