Centros comerciais do centro do Funchal moribundos

*Com Lília Castanha

CCBom Jesus3
Centro Comercial do Bom Jesus

A grande maioria dos centros comerciais no centro do Funchal está moribunda. O cenário é desolador. Os corredores estão desertos e as lojas encerradas.

O Funchal Noticias percorreu os centros comerciais de S. Pedro, do Bom Jesus, da Sé, do Oudinot e Galerias D. João. O que outrora foi moda e movimentado, hoje é ultrapassado e abandonado. Andamos pelos corredores destes centros e sentimos o vazio, o vazio de vida, o vazio da cor das montras, despidas dos sonhos dos empreendedores que um dia ousaram construir um negócio seu. Queremos sair dali, os espaços são fantasmagóricos e evidenciam o abandono.

Marina Shopping
Marina Shopping

O Marina Shopping também apresenta os mesmos sintomas, assim como o Centro Europa. Os estabelecimentos que resistem mais são alguns negócios da restauração e algumas lojas que dão para a estrada. Os restantes espaços ou andares estão sem comércio. Relativamente às Galerias de S. Lourenço e Arcadas de S. Francisco, apesar de haver algumas lojas encerradas, lá se mantêm com algum movimento, pois o facto de serem centros de passagem ajuda.

São várias as razões que os comerciantes apontam para esta situação, começando pelas grandes superfícies que desviaram os clientes do centro do Funchal. A abertura do Madeira Shopping, Forum Madeira e antigo Dolce Vita, agora La Vie, conquistaram os madeirenses como locais de compras amplos, com uma variedade de marcas nacionais e internacionais, onde podem fazer as suas compras com segurança e comodidade. A proliferação das grandes lojas chinesas concorrendo com todo o tipo de produto e preços é outra das causas apresentadas.

Centro Comercial da Sé
Centro Comercial da Sé

Mas há também outras explicações, em especial as que têm a ver com as incertezas do cenário económico. A crise trespassou os portugueses e fez com que as pessoas começassem a travar os gastos e a gerir a sua contabilidade essencialmente para os bens de primeira necessidade, ou seja, a estabelecerem as prioridades onde o seu dinheiro seria usado. O cenário de menor crescimento económico e diminuição do consumo tiveram claramente o seu peso. Da mesma forma, notamos também menos carros e pessoas pelas ruas, a emigração afetou certamente a quantidade de transacções comerciais na Madeira.

Centro Comercial Oudinot
Centro Comercial Oudinot

Outro argumento de peso expresso pelos comerciantes é o preço elevado dos impostos, chegando alguns a comentar que o Estado é o outro sócio da empresa que está sempre a receber, independentemente da empresa dar lucro ou não, além dos elevados preços das rendas, que no geral são dissuasores e afugentam novos empreendedores; sem contar com as contas mensais da água, luz, telefone, Internet e ordenados dos funcionários.  As licenças e os certificados de qualidade também acarretam os seus custos.

Se, em certas situações, algumas lojas podem ser alvo de críticas por não se terem modernizado, noutras, há também casos de grandes esforços financeiros por parte dos proprietários para remodelarem os seus espaços, em que o retorno não foi o esperado, sendo neste momento difícil reaverem o investimento.

Centro Comercial de S. Pedro
Centro Comercial de S. Pedro

No entanto, também nos grandes centros comerciais temos assistido à fuga de várias marcas ou à redução do número destas lojas. Porém, há outras marcas conhecidas que vão apostando no Funchal e preenchendo esses espaços vazios, o que não se verifica nos centros comerciais mais pequenos no centro da cidade.

Soluções, procuram-se.