2.ª edição da ‘oficina do empreendedor’ esgotou em menos de uma semana

Economia-Turismo-e-CulturaAs 50 vagas abertas para a segunda edição do programa “Oficina do Empreendedor” foram preenchidas em menos de uma semana. Depois do sucesso da primeira edição deste programa de “mentoring”, capacitação e estímulo do empreendedorismo, desenvolvido pelo Centro de Empresas e Inovação da Madeira (CEIM), em parceria com a Universidade da Madeira e a Associação de Jovens Empresários, a iniciativa volta a contar com a adesão e interesse dos madeirenses.

Entre 80 interessados registados, as 50 vagas foram preenchidas pelas pessoas que validaram a sua inscrição mediante o pagamento de uma caução de 20 euros (valor que será devolvido no final do curso). Aqueles que não foram selecionados, passaram a integrar a base de dados do CEIM e serão informados de próximas edições da “Oficina do Empreendedor” ou outras iniciativas do género.

Recorde-se que a segunda edição deste programa gratuito da responsabilidade do CEIM, que tem como principal objetivo ajudar os potenciais empreendedores a adquirir conhecimentos e competências básicas do mundo empresarial, transformando uma ideia numa oportunidade de negócio, vai decorrer nos fins-de-semana de 19 e 20 e de 26 e 27 do corrente mês de Setembro, nas instalações do Madeira Tecnopólo (Sala Ursa Menor).

A “Oficina do Empreendedor”, que teve a sua primeira edição em Junho último, e que, a médio prazo, terá outras edições em outros locais fora do Funchal, destina-se a todos os que pretendam desenvolver e aprofundar as suas capacidades empreendedoras bem como adquirir conhecimento do mundo empresarial. Este programa destina-se também a desempregados ou pessoas sem ocupação profissional (ou noutra situação) que pretendam constituir o seu próprio negócio.

Tal como aconteceu depois da primeira edição, desde ontem, no site do CEIM – http://ceim.pt/projetos/oficinadoempreendedor/inscricao/ – é dada a possibilidade aos interessados de preencherem uma declaração de manifestação de interesse no programa, por forma a determinar a viabilidade de realização de novos programas ou mais edições do projeto.