Produtores pedem fim do monopólio da empresa que gere a banana

DSC09235 Acabar com o monopólio da empresa que gere o setor da banana. A exigência vem acompanhada de forte contestação à GESBA e foi manifestada esta quinta-feira ao presidente do CDS/PP Madeira, num encontro realizado nas imediações da empresa, em que marcaram presença vários produtores. A indignação tem vindo a subir de tom, muito por culpa da polémica decisão dos administradores que reduziram 9 cêntimos no quilo de banana que é paga ao produtor, valor que consideram “exagerado”.

Esta reunião foi antecedida de uma outra entre o líder do CDS/PP Madeira e os produtores de banana, há uma semana. Esta tarde, junto às instalações da GESBA, José Manuel Rodrigues mostrou-se avesso a todo e qualquer monopólio: “São prejudiciais para os contribuintes, consumidores e produtores”, disse. “É isso que está a acontecer com a GESBA. A empresa até começou bem, foi apoiada pelos agricultores mas a sua forma de funcionamento atual está a prejudicar claramente os produtores de banana. Temos que trazer mais empresas e concorrência ao setor.”

O líder “popular” e cabeça-de-lista do CDS/PP às eleições legislativas de 4 de outubro, procurando expressar o sentimento e a revolta dos agricultores, disse que a redução de 9 cêntimos/quilo no preço pago durante o verão “esmaga” os rendimentos dos produtores. “Quando existem problemas com o setor da banana, toda a gente fica a ganhar, o único prejudicado é o agricultor que trabalha de sol a sol”, referiu, para anunciar que o Grupo Parlamentar do CDS/PP irá requerer ao Parlamento a presença do secretário da Agricultura para esclarecer deputados e população das queixas dos produtores.