Pilotos Miguel Nunes e Américo Gouveia apresentam viaturas no Trap

Foto de Miguel Moniz
Foto de Miguel Moniz

*Com Lília Castanha

O Trap Music Bar encheu ontem, 27 de Julho, para receber a apresentação oficial das equipas Team Tomiauto de Miguel Nunes/João Paulo e Trap Rali Team com Américo Gouveia/Marco Marote. O Funchal Notícias marcou presença e conversou com Miguel Nunes sobre a sua participação neste Rally Vinho Madeira que se avizinha.

FN – Boa noite Miguel, apresentação aqui da tua equipa juntamente com o Américo Gouveia. Vamos recuar um pouco ao passado e saber quando é que começou a tua participação nos rallies?

Miguel Nunes – Iniciei-me em 2005 ao volante dum Citroen C2 no Rally do Nacional, comecei juntamente com o meu irmão, adquirimos duas viaturas e uma vez que tínhamos uma equipa de mecânicos que trabalhava connosco diariamente na nossa atividade profissional decidimos montar os carros e iniciarmo-nos nesta modalidade. Felizmente ou infelizmente as coisas têm corrido mais ou menos bem e desde aí tenho me mantido no ativo, com exceção deste ano pois tenho estado parado e volto agora no Rally Vinho Madeira.

FN – Logo que começaste nos C2 foste campeão na categoria.

MN – Sim, fui logo campeão nos C2 e isso deu-me logo motivação para passar para um carro melhor. Tive só um ano de C2 e depois fui para os S1600, no segundo ano fui campeão de S1600. Passei depois para os S2000 para tentar chegar ao título absoluto que cheguei no 2º ano que tripulei o S2000; depois tive que andar um pouco para trás pois a conjuntura económica não me permitia carros tão dispendiosos e foi aí que comecei com o Mitsubishi mas que felizmente ainda me trouxe mais dois títulos absolutos.

FN – Resumindo, já pilotaste o C2, o S1600, o S2000, o Mitsubishi e agora estás com um R5. Quais foram os melhores resultados que já conseguiste atingir num Rally Vinho Madeira?

MN – Bem, acho que os  meus melhores resultados foram sempre no Rally Vinho Madeira, de Peugeot 207 fizemos uma boa prestação em 2010, fomos 4º da geral onde apenas os Skodas oficiais ficaram à nossa frente. Depois em 2011, também foi um rally que me ficou muito na memória porque comecei o rally com uma penalização de um minuto e meio e ainda consegui recuperar até à 4ª posição da geral, o que foi muito bom. Nos anos seguintes consegui chegar ao pódio ao 3º lugar e em seguida ao 2º lugar; foi no fundo uma escadinha que fui subindo no Rally Vinho Madeira.

FN – No ano passado abandonaste o Campeonato Regional. O que te fez abandonar este campeonato?

MN – Bom, tenho uma paixão enorme por isto, exige muitos sacrifícios e muito trabalho para fazer isto, de várias formas, quer na preparação do carro quer na preparação dos projetos para se conseguir os orçamentos para se poder estar na estrada e acho que tenho dado um contributo para o campeonato da modalidade. No ano passado vivi episódios muito difíceis e foi preciso mesmo muita força e muito gosto para não ter deixado o campeonato a meio; conseguimos ir até o fim e conquistar mais um título absoluto mas senti que havia necessidade de fechar um ciclo que estava gasto e acho que me fez bem parar algum tempo. Agora surgiu esta oportunidade, estou a gostar bastante até agora, pelo menos desta forma diferente de fazer rallies, com uma participação esporádica. Era um sonho estar à partida desta prova com um carro destes, mas tenho outros sonhos que vou tentar ir realizando aos poucos em vez de estar apenas concentrado no campeonato regional.

Ford Fiesta R5, viatura de Miguel Nunes (Foto de funchalnoticias.net)
Ford Fiesta R5, viatura de Miguel Nunes
(Foto de funchalnoticias.net)

FN – Quais são as perspectivas para este Rally Vinho Madeira, visto que apostaste forte e de alguma forma vais para este rally não olhando para resultados regionais pois estás fora neste ano?

MN – Nós somos ambiciosos e por isso mesmo é que montamos este projeto porque sabemos que é difícil ir mais longe do que já fomos, mas vamos dar o nosso melhor. Claro que não é só ter o carro,o carro é muito bom e é um carro que permite lutar pela vitória, não sabemos é nós se vamos estar a esse nível, estamos a trabalhar para isso mas é claro que isto não é só se sentar e andar. Há um trabalho de preparação que tem que ser bem feito, o tempo não é muito, vamos tentar fazê-lo da melhor maneira.

FN – Miguel, agradecimentos?

MN – Em primeiro lugar aos patrocinadores, estou profundamente grato por esta oportunidade que me foi dada, sem eles não a tinha conseguido. Foram o Cepsa, Ilha Pneu, Daniel Alves, Mata e Vasconcelos, Trap, Pirelli, Modilogos e acho que não me esqueci de ninguém. Além disso, tenho que agradecer à equipa que tem estado sempre comigo desde que comecei, desta vez em conjunto com a PNB Racing que também endereço os meus agradecimentos pela forma como nos acolheram e ao João Barros e Jorge Henriques que também foram pessoas espetaculares e muito nos ajudaram a chegar até aqui, e, de uma forma geral, um agradecimento a todas as pessoas que colaboraram, que nos incentivaram e que nos apoiam sempre na estrada.

FN – Miguel, muito obrigado. Então boa sorte para a corrida. 

Mitsubishi EVO X, viatura de Américo Gouveia (Foto de funchalnoticias.net)
Mitsubishi EVO X, viatura de Américo Gouveia (Foto de funchalnoticias.net)