A visão dos turistas: Madeira é dispendiosa, bela e perigosa

aviao-tarifa-004

Com Lília Castanha

Se vivermos no continente europeu podemos conhecer países diferentes de automóvel, mota, comboio e até de bicicleta. Mas para chegarmos e sairmos da Ilha da Madeira só mesmo de avião ou barco. E isso limita-nos e acarreta custos extra.

Embora a Madeira ofereça uma diversidade de alojamento para diferentes carteiras, continua a ser um destino mais caro para um britânico ou alemão do que muitos outros destinos europeus. Uma estratégia utilizada por turistas que pretendem viajar sem grandes gastos, é comprar as passagens com bastante antecedência ou adquirir pacotes promocionais. Mas, mesmo assim, a Madeira quando comparada com outros destinos, sai mais dispendiosa, além de que, nem todos conseguem tirar férias nas épocas em que as promoções são feitas.

Vejamos, numa pesquisa feita no site “eDreams” a meados de Junho, para viajar de 18 a 25 de Julho, os preços foram os abaixo mencionados. Surgiram várias companhias aéreas, com a TAP, raramente a aparecer como escolha mais favorável em relação ao preço. Por vezes é necessário fazer escala noutro aeroporto antes de se chegar ao destino. A TAP não opera voos diretos de Londres para a Madeira ao contrário da Easyjet e British Airways, por exemplo. De referir também que os preços variam de acordo com a data da pesquisa e que só algumas companhias aterram no Aeroporto de Santa Catarina em Santa Cruz.

Comparando o valor das viagens entre o continente europeu e as ilhas verificamos que viajar para as ilhas sai sempre mais caro.

Preços a partir de:

Londres – Funchal : 443 euros                                                                 Londres – Lisboa: 227 euros

Londres- Gran Canaria: 427 euros                                                            Londres- Barcelona: 141 euros

Londres – Palma de Maiorca: 239 euros                                                   Londres- Roma: 236 euros

Londres – Ibiza: 212 euros                                                                      Londres- Amesterdão: 113 euros

Londres- Malta: 260 euros                                                                      Londres- Munique: 89 euros

ligacoes-aereas

A companhia aérea de baixo custo irlandesa Ryanair é a que surge no geral como a mais em conta mas não efetua voos para o Funchal. A Easyjet também é de ter em consideração Segundo uma imigrante madeirense em Londres, conhecer o mundo a partir de da capital inglesa é acessível, ao contrário da Madeira. Só no ano passado visitou Berlim, Sardenha, Amesterdão e Madrid. Tomemos como exemplo a viagem a Sardenha feita pela nossa conterrânea em Maio de 2014 a partir de Londres; pagou para duas pessoas, um pacote de uma semana com a viagem e hotel de 4 estrelas com pequeno-almoço, a totalidade de 480 libras. Ou Madrid em Setembro de 2014, 3 dias com viagem e estadia em 4 estrelas, para duas pessoas 210 libras. Dificilmente, nós ilhéus conseguimos estes achados, o que daria muito jeito já que os nossos ordenados são inferiores aos ingleses ou alemães.

Outro contato foi uma visitante alemã de longa data da Madeira. A senhora evita vir à Madeira nas épocas altas, como no final do ano e Festa da Flor, já que os preços sobem significativamente nestas alturas. Em Maio de 2015 deslocou-se à Madeira pela Tap pois embora operem muitas companhias na Alemanha desta vez a Tap foi a escolha mais vantajosa. Viajar de Munique para o resto da Europa também é acessível para os bolsos alemães.

Novamente foi feita uma pesquisa no mesmo site para viagens de Munique para outros destinos para uma pessoa na semana de 18 a 25 de Julho. O resultado foi o seguinte:

Preços a partir de:

Munique – Funchal : 317 euros                                       Munique – Lisboa: 225 euros

Munique – Gran Canaria: 270 euros                                 Munique – Barcelona: 169 euros

Munique – Palma de Maiorca: 162 euros                         Munique – Roma: 32 euros

Munique – Ibiza: 214 euros                                            Munique – Amesterdão: 104 euros

Munique – Malta: 370 euros                                            Munique – Londres: 88 euros

De destacar que o voo de Munique até Roma, com a duração de 1h e 35 minutos, custa 32 euros ida e volta na Ryanair e de Munique a Londres com a duração de 1h e 45 custa 88 euros na mesma companhia.

Novamente, viajar para as ilhas custa no geral mais caro, com a Madeira a aparecer em 1º lugar dentro dos destinos pesquisados.

Como se não bastasse a concorrência dos preços, o aeroporto da Madeira é visto como um dos mais perigosos da Europa pela imprensa europeia. A pista é caracterizada como um pequeno espaço entre as montanhas e o Oceano Atlântico sujeita a ventos fortes e a turbulência.

As histórias dos ventos no aeroporto da Madeira foram notícia até no canal americano NBC em

Outubro de 2014 como relata a RTP:

http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=778002&tm=8&layout=122&visual=61

E não, não foram os únicos. A agência noticiosa Ruptly, sediada em Berlin, reuniu em vídeo algumas aterragens complicadas com os pilotos a tentar aterrar com o avião quase de lado. Este vídeo foi divulgado no YouTube a 17 de Maio de 2015. Assista às imagens:

A British Airways, que começou a apreciar os ventos da Madeira em Maio deste ano, também não quis ficar atrás e publicou a 9 de Junho no YouTube uma aterragem com o comentário do piloto Ally Wilcox. Wilcox é um dos 20 pilotos da companhia que tiveram treino especializado para aterrar em Santa Cruz. Este treino passa por um simulador onde é dissecado cada aspeto de aproximação à pista. O aeroporto da Madeira é descrito como um dos mais desafiantes dentro das rotas da companhia britânica. E aqui está finalmente uma aterragem calma vista do cockpit:

Apesar disto tudo, justifica-se visitar a Madeira?

Muitos turistas não têm dúvidas e dizem que sim. Pelas paisagens únicas, pelas flores, pelas levadas, pelo mar, pelo clima ameno, pelo sossego, pela gastronomia, pela segurança, pelos festejos, para praticar determinados desportos, pela praia do Porto Santo, entre outros aliciantes. Não são poucos os que repetem a visita e chegam a adquirir casa própria na nossa ilha. Não é por acaso que passam pelo nosso porto também vários cruzeiros que deslumbram os passageiros com a vista do nosso anfiteatro natural e com as particularidades do centro da cidade do Funchal.