Sérgio Marques, o experiente

SONY DSC
foto Rui Marote

Helena Mota

O futuro Secretário Regional dos Assuntos Parlamentares e Europeus será um dos mais experientes no novo elenco que compõem o XII Governo Regional da Madeira. O início da carreira política de Mário Sérgio Quaresma Gonçalves Marques remonta aos anos oitenta, a partir da JSD. Com uma das pastas a estrear no figurino governativo, Sérgio Marques terá o desafio de dar a cara pelo governo em diversas áreas e dominar vários dossiês, inaugurando uma prometida nova era nas relações entre o Executivo e o Parlamento.

ASSUNTOS-EUROPEUS

Foi um dos adversários de Miguel Albuquerque nas eleições internas à liderança do PSD-M, em dezembro último. Anunciou a sua candidatura com o slogan ‘Pacto de Confiança’, alicerçado na reforma do sistema político, um dos cinco pilares do seu programa eleitoral. Não conseguiu fazer passar as suas propostas junto dos social-democratas da Região, que escolheram para a segunda volta Miguel Albuquerque e Manuel António.

A confirmação do ex-presidente da Câmara Municipal do Funchal à frente dos destinos do partido da Rua dos Netos e como vencedor das eleições legislativas regionais de 29 de março representou para Sérgio Marques uma nova oportunidade de dar corpo aos seus projetos de alternativa. Depois de uma breve experiência como governante – foi diretor regional do Plano entre 1989 e 90 –, regressa a partir de amanhã às funções governativas, desta vez como secretário regional dos Assuntos Parlamentares e Europeus.

sergio

Próximos nove meses “atarefados”

A sua escolha para integrar o novo elenco do Governo Regional não causou estranheza, dadas as afinidades pessoais com Albuquerque e o trajeto comum percorrido nos tempos da JSD-M. Também ele fez frente a Alberto João Jardim, divergências que lhe custaram a manutenção como deputado europeu, em 2009.

Além disso, o percurso e experiência política de Sérgio Marques conferem-lhe a solidez que Albuquerque procura neste arranque da era pós-Alberto João Jardim, o qual será marcado por riscos, tanto ao nível interno, como nas relações da Região com o governo central e a Europa.

Se na área dos assuntos europeus o novo governante não terá dificuldades, dada a experiência adquirida no Parlamento e instâncias europeias, o mesmo não se poderá dizer quanto ao trabalho que o espera enquanto elemento de ligação entre a Assembleia Legislativa Regional e o Executivo. Recorde-se que Albuquerque prometeu uma nova era no relacionamento com o Parlamento regional, garantindo uma presença assídua e construtiva, bem distinta da postura dos anteriores governos de Jardim. Sérgio Marques terá essa missão de estar presente nos plenários, dando a cara por diversos assuntos e áreas. Filipe Malheiro não tem dúvidas de que a gestão de várias pastas será o maior desafio do novo secretário regional, nestes primeiros nove meses de governação. “Vai ter de gerir e de estabelecer uma hierarquização em termos de importância e em relação à sua própria disponibilidade pessoal. Eu creio que ele vai apostar muito nos assuntos parlamentares, visto que há muitos desafios que vêm aí: a mudança dos estatutos, a revisão do Regimento, a produção legislativa que o novo governo está obrigado a apresentar. Tudo isto vai exigir do Sérgio uma presença assídua e uma grande disponibilidade.”

sergio marques

“Corredor de fundo” no Parlamento

Pessoa de trato afável, Sérgio Marques é reconhecido pela sua postura ponderada e correta mesma nas relações com os seus opositores políticos. Possui uma grande experiência sobretudo parlamentar. Foi deputado à Assembleia Legislativa Regional por vários mandatos, entre 1984 e 1999. Durante dez anos, até 2009, representou a Região no Parlamento Europeu, onde ganhou traquejo nas lides com os dossiês mais sensíveis.

Politicamente, é também um elemento com uma visão real do que se passa no PSD-M, para onde entrou em 1981. Foi presidente do Conselho de Jurisdição e vice-presidente da Comissão Regional da JSD-M, membro da Comissão Política Regional do PSD-M até 2008, e, de abril de 2011 a janeiro de 2014, membro do Conselho Nacional do PSD.

Gestor no Grupo Sousa

Sérgio Marques nasceu no Funchal a 25 de fevereiro de 1957, tendo concluído a licenciatura em Direito pela Universidade de Lisboa em 1980. Seis anos mais tarde, obtém uma pós-graduação em Estudos Europeus pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra.

Exerceu advocacia entre 1981 e 1982, tendo simultaneamente desenvolvido atividade profissional como consultor jurídico e funções de adjunto de Gabinete na então Secretaria Regional do Equipamento Social, nas áreas de ordenamento do território, urbanismo, ambiente, habitação social, expropriações por utilidade pública e estatuto das estradas regionais.
Durante quase uma década, esteve profissionalmente ligado ao sector privado. Entre outubro de 1990 e junho de 1999 foi consultor jurídico e gestor nas empresas do Grupo Sousa, ligadas aos transportes marítimos e operações portuárias.

Neste momento, Sérgio Marques continua a ser sócio de uma empresa familiar de turismo rural.

Casado e com dois filhos já adultos, de 30 e 27 anos, Sérgio Marques é um apaixonado pela música, sobretudo o Jazz, dedicando igualmente grande parte do seu tempo livre à prática de ténis.