Humberto Vasconcelos: de expulso do PSD a secretário regional

humberto_vasconcelos

Helena Mota

Humberto Vasconcelos será o novo titular da pasta da Agricultura e Pescas, uma estreia em funções governativas. Ao ex-presidente da Câmara Municipal de São Vicente faltam percurso e currículos políticos, mas tem que baste em experiência como gestor e administrador de empresas. Jardim expulsou-o do partido por deslealdade. Vasconcelos manteve o apoio a Albuquerque e amanhã passará a fazer parte do XII Governo Regional.

agricultura (1)

 Não sendo propriamente desconhecido, a Humberto Vasconcelos apenas se conhece experiência autárquica, enquanto presidente da Câmara de São Vicente. Fez primeira página precisamente porque enfrentou Alberto João Jardim, numa querela que terá estado relacionada com a presença num jantar do movimento de independentes ‘Unidos por São Vicente’, onde também compareceu o secretário Manuel António. Jardim não gostou e deu ordem ao conselho de jurisdição do partido para abertura de processo disciplinar, com vista à expulsão, o que viria a acontecer em setembro de 2013. Na altura, Humberto Vasconcelos acusou o líder do PSD-M de ato persecutório, ressabiado que estava com ao seu apoio a Albuquerque nas eleições internas, no ano anterior. A verdade é que o percurso de Humberto Vasconcelos na vida pública acabou com o fim do mandato na Câmara, em 2009, tendo regressado à sua empresa de gestão de condomínios. Por explicar, ficou o “ódio de estimação” que Jardim ganhou ao autarca nortenho, mesmo ainda antes do episódio que originou a sua expulsão do PSD-M.

Afirmar-se politicamente

Humberto Vasconcelos fica com a Agricultura e as Pescas, dois sectores que estão na ordem do dia. O primeiro, pelo crescimento e importância que tem vindo a conquistar na “produção de nicho”, e o segundo pela gestão dos recursos pesqueiros e manutenção de quotas ao nível europeu. Associados aos dois, estão os fundos comunitários, verbas fundamentais na proteção e manutenção de sectores muito frágeis face à economia de grande escala de países concorrentes. Sendo um economista de formação e gestor de profissão, é de esperar que Humberto Vasconcelos dê um cunho pessoal à sua ação. A parte técnica seria então o “calcanhar de Aquiles” do mandato do homem do norte. No entanto, Humberto Vasconcelos parece ter já contornado a questão com a recondução do atual diretor regional de Pescas, Luís Ferreira, e a nomeação de Paulo Santos, um técnico experiente da Divisão Agro-Alimentar, para a Agricultura. Filipe Malheiro vê nesta manobra de antecipação dos dois diretores regionais uma forma de esvaziar “eventuais críticas à sua inexperiência”.

humberto

“Neste momento, o seu grande desafio é afirmar-se politicamente, porque do ponto de vista técnico tem já os seus colaboradores. Aliás, o segredo de um bom gestor quando não tem experiência é escolher as pessoas indicadas para cada área.”

Determinado e trabalhador

A falta de um percurso político de base, consistente e diversificado poderá, à partida, ser vista como uma desvantagem. No entanto, há quem reconheça a Humberto Vasconcelos boas capacidades ao nível da gestão e da organização, assim como um caráter determinado e trabalhador, mesmo por adversários partidários. O socialista João Carlos Gouveia, figura incisiva e crítica contra a governação laranja, fez questão de felicitá-lo pessoalmente pela indigitação. Diz estar “confiante de que fará um bom mandato”.

“Quando o digo não é por uma questão de simpatia, por ser meu conterrâneo, filho do meu padrinho, o que nos dá uma relação pessoal. Tivemos as nossas divergências políticas, mas tenho a certeza que tem as capacidades necessárias para fazer um bom trabalho.”

Pai com “currículo” na vida pública

Humberto Vasconcelos nasceu a 4 de março de 1967, em São Vicente, filho de professores primários. É oriundo de uma família influente da zona, tendo o pai, Tito José Mendes de Vasconcelos, natural do Porto Santo, ocupado o cargo de presidente da Câmara do Porto Moniz, de 1969 a 1974. Foi igualmente o coordenador desportivo da zona norte e juiz substituto da Comarca de São Vicente.

Humberto Vasconcelos e as irmãs vieram estudar para o Funchal para conclusão de estudos. Colegas da época, na Escola das Mercês, recordam-no como um aluno preocupado com as notas e responsável com os trabalhos. Não sendo brilhante, era um aluno aplicado que gostava de entrar nas brincadeiras do grupo. Primava pela discrição e por um trato simples, mas com ideias próprias.

Licenciou-se em Economia pela Universidade Católica, em 1995, tendo iniciado a sua vida profissional como administrador de empresas na área da saúde. Em 2005, integrou a lista do PSD para as autárquicas como independente, vindo a tornar-se militante em 2007. Dois anos mais tarde, deixa a Câmara de São Vicente.

Humberto Vasconcelos vive no Funchal, é casado e tem duas filhas adolescentes. Segundo apurámos, deixará de integrar os corpos sociais da empresa, um franchising de condomínio, para se dedicar exclusivamente à política.