‘Capela das Babosas’ à espera de licença e de dinheiro

20FevFunchal_Noticiasv2

A ‘Capela das Babosas’, que existia na Freguesia do Monte, desapareceu no dia 20 fevereiro de 2010. A água e a terra arrasaram tudo. Salvou-se a imagem de Nossa Senhora da Conceição, encontrada por paroquianos no meio do entulho, e ainda dois anjos e um crucifixo.

O pe. Giselo Andrade, pároco da Freguesia do Monte, recorda esse dia: Perante o sucedido, “a ideia foi dirigir-me ao local para ver o que se podia salvar, mas não encontrei nada. No lugar da capela estava entulho. Algumas pessoas continuaram a procurar e foi então que encontraram a imagem intacta de Nossa Senhora, sobre as pedras”.

A ideia da reedificação da ermida surgiu de imediato. Após um “concurso de ideias” a opção foi por um projeto novo, aprovado em 2012, mas que ainda não avançou. “A paróquia aguarda a licença de construção da Câmara do Funchal. Os arquitetos estão também a trabalhar no projeto de execução”, explica o pároco.

Apesar de alguns anos de espera o pe. Giselo Andrade considera que “está no tempo certo”, atendendo a que o processo implicou uma conjugação de esforços entre a paróquia e a Diocese, o debate de ideias, um concurso, a aprovação do projeto e outros aspetos burocráticos que “levam o seu tempo”.

A data para o início das obras ainda não está definida. Para além da licença camarária é necessário que a paróquia disponha de meios económicos. Conforme explica o pároco, a “igreja tem algum dinheiro mas pouco, muito longe do necessário para começar seja que obra for”. O valor previsto para a construção é de 400 mil euros.

Aquando do desaparecimento da capela várias pessoas, incluindo o empresário Joe Berardo, disponibilizaram-se para apoiar a construção. A propósito de eventuais contributos privados, relembra que “ao longo dos tempos foram muitos os que manifestaram o desejo de ajudar, mas a situação económica mudou para pior”.capela-babosas-foto

Quanto ao apoio específico de Joe Berardo, o pe.Giselo Andrade diz que recentemente não abordou com o empresário essa questão, mas pensa que “não perdeu o interesse”. E acrescenta: “Enquanto o processo não estiver em andamento é difícil falar sobre ajudas, o mesmo acontece em relação a outras pessoas que estão interessadas”.

Entretanto a devoção Nossa Senhora da Conceição continua. No primeiro sábado de cada mês, após a eucaristia das 18 horas, que se celebra na Igreja do Monte, a imagem é levada num andor, em procissão, até ao Largo das Babosas, onde são entoados cânticos e proferidas orações.

A capela, conforme explica, “é uma referência, não pretende ser mais um monumento na Freguesia do Monte, ou na cidade. A ideia não é multiplicar capelas, porque não faz sentido. Tem que constituir um elemento de fé e espiritualidade”.

O novo projeto, da autoria da ‘MBS Arquitectos’, mantém a escala do antigo templo e a escadaria. Utiliza na sua conceção a forma triangular (vela ou chama) a simbolizar a fé e a vida. No fundo do presbitério, atrás do altar, surge um grande envidraçado que permite ver o exterior. O monumento terá referências à aluvião e um memorial às vítimas do 20 de fevereiro.

A primitiva capela foi edificada em homenagem ao dogma da Imaculada Conceição, instituído pelo Papa Pio IX, a 8 de dezembro de 1854. A primeira pedra foi lançada em 1906, sendo construída com várias doações, nomeadamente da família real portuguesa.

Situada num largo romântico, foi procurada durante muitos anos para a celebração de casamentos, mas com o tempo passou a ser utilizada como capela mortuária. Sobre esta questão o pe. Giselo Andrade relembra que a freguesia necessita um pequeno templo para apoio aos funerais, que já estava previsto pela Câmara antes de 20 de fevereiro de 2010. Considera que o percurso entre o Largo das Babosas e o cemitério é difícil, sobretudo para os idosos, e recorda que já existe um espaço para a sua construção, ao lado do parque de estacionamento, mas por falta de meios ainda não avançou.

capela-enxurrada