Alemanha rejeita proposta financeira da Grécia

União Europeia

A Alemanha rejeitou uma proposta da Grécia para uma prorrogação de seis meses ao seu programa de empréstimo da Eurozona, informou a BBC.

A rejeição surgiu apesar da Comissão Europeia ter classificado o pedido grego como “positivo” apenas alguns minutos mais cedo.

A Grécia procurara negociar um novo programa de assistência a seis meses, mais do que a renovação do acordo existente, que acarreta consigo severas medidas de austeridade.

No entanto, um porta-voz do ministro das Finanças alemão disse que esta não era uma proposta substancial para uma solução.

A rejeição por parte da Alemanha sugere uma severa deriva entre as posições de Bruxelas e Berlim, ao mais alto nível.

Não é por enquanto claro que lado poderá vencer, e qual cederá, mas as esperanças de que a Grécia estaria a avançar para um acordo com os seus parceiros comunitários foram lançadas, de novo, na dúvida.

A proposta grega inclui uma promessa de manter o “equilíbrio fiscal” por um período de seis meses, enquanto negoceia com os parceiros da Eurozona sobe o crescimento a longo prazo e a redução da dívida.

O governo de Atenas também referiu que esta proposta de prorrogação visava dar aos gregos mais tempo, sem a ameaça de chantagens e défices temporais, para esboçar um novo acordo com a Europa para o crescimento ao longo dos próximos quatro anos.

Pouco antes da rejeição alemã da proposta, um porta-voz da Comissão Europeia dissera que o respectivo presidente, Jean-Paul Juncker, classificava a proposta como “um sinal positivo, que poderia abrir caminho para um compromisso razoável no interesse da estabilidade financeira da zona euro como um todo”.

A proposta grega deverá ser debatida no Eurogrupo, numa reunião que terá lugar amanhã quando os ministros das Finanças europeus se reunirem em Bruxelas. Se nenhum acordo parecer provável, no entanto, a reunião pode ser adiada.