PS defende aumento do preço da banana pago aos produtores e questiona despesismos da GESBA

O Grupo Parlamentar do Partido Socialista defendeu, hoje, um aumento do preço da banana pago aos produtores. Em conferência de imprensa realizada no Lugar de Baixo, junto ao Museu da Banana, o deputado Carlos Coelho criticou que o preço pago aos produtores praticamente não aumente desde 2008, ano em que a GESBA entrou no mercado. Algo que, no seu entender, é incompreensível, tendo em conta o crescimento da inflação e dos custos de produção. Conforme alertou, desta forma, os produtores estão a ver as suas produções terem cada vez menos rentabilidade e acabam por perder rendimentos.

O parlamentar denunciou aquilo que considera ser uma manobra de diversão da GESBA face à contestação dos agricultores em relação ao valor pago, dando conta que nos últimos recibos foi aumentado o valor por categoria, mas esse montante foi subtraído da rubrica da ajuda da União Europeia. Trata-se, conforme explicou, de uma tentativa de iludir os agricultores, já que, na soma final, os valores mantêm-se os mesmos.

Por outro lado, Carlos Coelho aproveitou para condenar o facto de os produtores não serem ouvidos na gestão da GESBA, nem lhes serem prestadas quaisquer contas. “Para conseguirmos ter acesso ao relatório e contas é sempre um grande sarilho, porque os próprios agricultores, pelos vistos, não têm direito a saber o que é feito com o seu produto, nem quanto é que dá”, referiu. “A GESBA não existe sem os produtores. A GESBA não produz nada, pelo que deve prestar contas a quem lhe entrega o produto”, advertiu ainda.

O parlamentar socialista deu ainda voz a algumas preocupações dos bananicultores relativamente a alguns investimentos que têm vindo a ser feitos pela GESBA, como é o caso do novo centro de processamento que está a ser construído em São Martinho. Tal como explicou, esta infraestrutura irá custar 12 milhões de euros para a criação de seis novas linhas, “quando no atual contexto não se prevê que vá acontecer um aumento exponencial de produção de banana que justifique esse investimento”. De acordo com Carlos Coelho, não se percebe este investimento, “quando temos até um centro de processamento da banana na Madalena do Mar, que é sazonal”. Isto porque serão os agricultores a financiar esta infraestrutura, sem que tenham sido ouvidos a este respeito.

O deputado do PS questiona ainda o facto de terem sido gastos mais de 250 mil euros num cabo aéreo para transporte de cachos de banana no Museu da Banana. “Os produtores não percebem isto e sentem-se injustiçados por verem este tipo de despesismo e não verem a banana ser valorizada”, rematou.