Liberais desdizem Brício Araújo sobre a carga fiscal na Região

A Iniciativa Liberal comentou hoje uma acção política do Grupo Parlamentar do PSD na ALRAM, na qual o deputado Brício Araújo, “na busca de mostrar serviço, afirmou que a Madeira é um exemplo na redução da carga fiscal”.

“É mentira”, asseveram os liberais. “Estes senhores acham, como Joseph Goebbels, que uma mentira muitas vezes repetida torna-se verdade. Os Açores têm os impostos mais baixos do país. IVA a 16% (o nosso é de 22%), a taxa mais alta de IRS é de 33,6% (na Madeira 47,52%). IRC e Derrama são iguais nos dois arquipélagos. Logo, o exemplo vem dos Açores, onde o acordo de viabilização do Governo e orçamentos regionais feito entre o PSD e a Iniciativa Liberal, fez com que a redução de impostos fosse uma realidade muito mais profunda do que a cosmética do Governo da Madeira”, refere a IL.

“Miguel Albuquerque já disse curto e grosso que não baixa o IVA. As reduções de IRS são ridículas. Nada disto ajuda ninguém”, acrescenta o partido.

“Um exemplo concreto de mais uma política de penso rápido: o GR transpôs para o Orçamento Regional a redução do Imposto sobre o Rendimento de Pessoas Colectivas (IRC) para as micro, pequenas e médias empresas que exerçam a actividade nos concelhos do norte da Madeira (Santana, São Vicente e Porto Moniz) e na ilha do Porto Santo. Baixou de 11,9% para 8,75% nos primeiros 25 mil euros de matéria coletável. Acima disso aplica-se o normal.

Vamos a contas da esmola proposta pelos socialistas laranja:

Situação anterior:

25.000€ – 11,9% = 2.975€ IRC

Depois da baixa do GR:

25.000€ – 8,75% = 2.187,5€ IRC

Ganho por um empresário:

2.975€ – 2.187,5€ = 787,50€ IRC

Ganho por mês:

787,50€ / 12 = 65,62€ por mês.

Isto se o seu resultado não ultrapassar 25.000€. Se o fizer volta a pagar o imposto em vigor em toda a região, daí para cima.

É nisto que reside a política fiscal do Governo Regional.

Exemplos destes? Não obrigado”, conclui a Comissão Coordenadora da Madeira, da Iniciativa Liberal.