PCP: “Governo Regional nega melhores e justas condições laborais aos trabalhadores da ARM”

Foto DR

Ricardo Lume, deputado do PCP na Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira, reuniu, hoje, com a estrutura regional do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Centro Sul e Regiões Autónomas, para abordar “as questões relacionadas com as condições laborais dos trabalhadores da ARM [Águas e Resíduos da Madeira]” e “conhecer as reivindicações destes trabalhadores”

No decurso da reunião “foi possível identificar que a Administração da Empresa ARM com a conivência do Governo Regional tem protelado as medidas necessárias para garantir a valorização destes trabalhadores, a nível salarial, mas também para garantir condições laborais”, adiantou o deputado.

“Segundo os representantes da estrutura sindical, a administração da empresa não está disposta a valorizar os salários, nem atualizar o subsídio de refeição igualando o valor a todos os trabalhadores, assim como não está disponível  para aprovar as 35 horas de trabalho para todos os trabalhadores.”, afirmou Ricardo Lume, acrescentando que “é inconcebível que numa empresa pública como a ARM exista uma verdadeira manta de retalhos no que diz respeito aos direitos laborais e às remunerações.”

Na ARM “existem trabalhadores que trabalhando lado a lado, uns trabalham 35 horas por semana e outros 37,5 horas por semana”, acusou o deputado.

Ricardo Lume disse, ainda, que “existem na mesma empresa trabalhadores que auferem menos subsídio de alimentação que outros trabalhadores” e que “o Governo Regional e a administração desta empresa não querem pôr fim à discriminação salarial que acontece nesta empresa”.

Os trabalhadores da ARM “podem contar com o PCP para apresentar, neste parlamento, propostas para defender os direitos destes trabalhadores, mas também para dar visibilidade às suas justas reivindicações.”, finalizou.