Baltazar Dias acolheu a 1.ª parte da formação de audiodescritores

Fotos Carlota Andrade

A formação de audiodescritores, desenvolvida pela Rede de Teatros com Programação Acessível, foi criada com o objetivo de dotar os profissionais, fora de Lisboa e Porto, com preparações técnicas para proporcionar o recurso da audiodescrição ao público com deficiência visual.

O Teatro Municipal Baltazar Dias acolheu a primeira parte do curso, entre os dias 30 de março e 8 de abril, tendo uma duração de 60 horas de formação intensiva, distribuídos por dez dias consecutivos. A segunda parte do curso, com uma duração de 20 horas, ocorreu entre os dias 13 e 17 de julho, em Lisboa, no São Luiz Teatro Municipal. No dia 17 de julho, os formandos assistiram ao espetáculo «A Praia» que contou com audiodescrição, no São Luiz Teatro Municipal. Por fim, na terceira parte do curso, os formandos estiveram envolvidos na audiodescrição de três produtos audiovisuais em contexto real.

Assim, a Acesso Cultura contou com o apoio de diversos parceiros, incluindo a Câmara Municipal do Funchal, a Secretaria Regional de Turismo e Cultura da Madeira, a Direção Regional de Cultura do Norte, a Direção Regional de Cultura do Algarve, Ágora – Cultura e Desporto do Porto e El Corte Inglés Portugal.

No futuro, os formandos do curso de audiodescritores poderão prestar os seus serviços a membros da Rede de Teatros com Programação Acessível e a diferentes organizações culturais em diferentes locais do país.