Presidente do Governo Regional recita aos estudantes do “Liceu” poema de Cesário Verde

O presidente do Governo Regional a recitar o poema “Arrojos”, de Cesário Verde, aos alunos da ESJM. Foto GR.

Os estudantes da Escola Secundária Jaime Moniz vestiram hoje a pele de “repórteres do quotidiano citadino”, na esteira do poeta Cesário Verde, autor que estudam no âmbito do programa de Português de 11.º ano. 21 alunos da turma 3 do 11.º ano de escolaridade, acompanhados pelos professores de Português e Matemática, deambularam, qual poetas, pelas ruas da cidade, registando as impressões puras da especificidade da cidade turística e dos seus contrastes sociais, ainda com as vestes garridas da Festa de Flor, ouviram as partilhas do padre Mário Ribeiro no Hospício e assistiram à experiência singular de ver o presidente do Governo Regional a recitar o poema “Arrojos”, de Cesário Verde. Um texto escolhido pelos docentes para desafiar o presidente a recitar, tendo-o feito com expressividade e entoação.

Jovens estudantes do “Liceu” visitam a Quinta Vigai, os jardins e os salões da Presidência do Governo Regional. Foto GR.

A literatura é vida e os alunos do “Liceu” experienciaram hoje aquilo que as páginas de Cesário procuram transmitir, a poetização dor real, ao sabor da sua transfiguração. No Mercado dos Lavradores, registaram o testemunho do vendedor de peixe e das dificuldades desta profissão exigente, assim como a paleta de cores e aromas dos mil frutos ali expostos. No deambular pela rua Fernão de Ornelas e Avenida Arriaga, a observação acidental dos tipos sociais no acordar da manhã para um dia de trabalho, as minorias que se perfilam nos recantos e o arranque dos trabalhos da luxuosa construção Savoy Residence.

O Padre Mário Ribeiro, Missionário do Hospício, pregou aos  estudantes e respondeu às questões colocadas pelos jovens sobre Deus.

Momento também para escutar a voz da Igreja, também retratada na estética de Cesário Verde, desta feita com a disponibilidade expressa, ao repto do Liceu, pelo missionário do Hospício, Padre Mário Ribeiro. Também o sacerdote a aceitar o convite para declamar as palavras de Fernando Pessoa sobre Cesário Verde, com evidente expressividade. Nos belos jardins do Hospício, o diálogo fluiu, no fresco da manhã, aguçado pela curiosidade dos alunos, numa interação dinâmica com o afável sacerdote sobre as tradições da Madeira, nomeadamente as visitas pascais do Espírito Santo. Um momento singular para os alunos colocarem questões sobre o ser católico, acreditar ou não em Deus, entre outras questões acutilantes, que o sacerdote aplaudiu e a todos procurou esclarecer, lembrando que aas dúvidas são fundamentais para conhecer melhor o Espírito Santo na vida de um cristão.

O Padre Mário Ribeiro recitou também aos alunos o poema de Fernando Pessoa sobre Cesário Verde.

Por fim, qual cereja em cima do bolo, a recetividade da Presidência do Governo Regional aos jovens, com o presidente do Governo Regional a recitar, de improviso, o poema de Cesário Verde “Arrojos”, sobre o deslumbramento e desvario do sentimento amoroso. Para além deste momento literário, a marcar a agenda matinal do presidente e a proporcionar aos estudantes uma experiência única, seguiu-se a visita ao emblemático jardim da Quinta Vigia, bem como aos históricos salões da Presidência do Governo Regional da Madeira.

A visita de estudo teve como objetivo sensibilizar os estudantes para a poética de Cesário Verde, no contacto direto com a representação sinestésica do quotidiano urbano da cidade do Funchal, a partir do qual farão trabalhos de apresentação oral sobre as experiências vivenciadas.

Na Praça (Mercado dos Lavradores), o contacto dos jovens com a experiência dos vendedores de peixe e o registo das impressões.

 

 

A rara beleza dos jardins da Quinta Vigia.

 

Os salões riquíssimos da Quinta Vigia.