José Manuel Rodrigues elogia “cultura da memória”

O presidente da Assembleia Legislativa da Madeira veio considerar hoje importante a promoção da “cultura da memória”, como forma de afirmar a identidade e os aspectos diferenciadores da Madeira no país e no Mundo.

José Manuel Rodrigues visitou, ao início da tarde, a exposição “A Ilha do imperador”, inserida no Centenário da Morte do imperador Carlos de Áustria, patente na Quinta Magnólia. No final, salientou a importância das memórias” (fotografias, móveis, esculturas e pinturas), que neste caso, “evocam a passagem do imperador pelo exílio, na ilha da Madeira”, para a promoção da Região “como uma terra de acolhimento e de paz, que nunca esquece daqueles que por aqui passaram”.

O presidente do Parlamento madeirense elogiou ainda também o “acto criativo de homenagem à passagem pela Madeira e à vida santificada de Carlos de Áustria”, feito pelos escultores Ricardo Veloza e Martim Velosa, e pela artista plástica Carla Cabral.

“Achei curioso o ‘Interlúdio’ de Carla Cabral, que aproveita toda a memória do Beato Carlos e lhe dá uma interpretação moderna, actual e baseada no catolicismo do imperador, da imperatriz Zita de Bourbon-Parma e de toda a sua família”, vincou.