Dores Aresta é agora director-geral da AMN e comandante-geral da Polícia Marítima

O vice-almirante João Dores Aresta tomou hoje posse como novo director-geral da Autoridade Marítima e Comandante-geral da Polícia Marítima, rendendo no cargo o vice-almirante António Coelho Cândido.

A cerimónia, que decorreu hoje pelas 09h00 no Salão Nobre da Direcção-geral da Autoridade Marítima, foi presidida pelo Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, tendo contado com a presença do Secretário de Estado Adjunto e da Defesa Nacional, Jorge Seguro Sanches, e do Chefe do Estado-Maior da Armada e Autoridade Marítima Nacional, almirante Henrique Gouveia e Melo.

Jorge Seguro Sanches destacou, na sua intervenção, o prestígio que a Autoridade Marítima Nacional tem para a Defesa Nacional em particular, reconhecido por todos os portugueses, em particular por aqueles que vivem no litoral. Destacou ainda o contributo da Autoridade Marítima Nacional para que a Segurança Marítima seja uma prioridade em todas actividades que visam salvaguardar a vida humana, no socorro a náufragos e assistência a banhistas, na garantia da segurança dos navios, embarcações e carga, na manutenção das infraestruturas de apoio aos navegantes, no assinalamento e posicionamento marítimo e no combate à poluição do mar, assegurando, assim, a protecção do ambiente marinho e dos recursos, refere um comunicado da AMN.

No discurso de tomada de posse, o vice-almirante João Dores Aresta referiu que “a Direcção-Geral da Autoridade Marítima e a Polícia Marítima tudo farão para constituir uma Autoridade Marítima Nacional pronta, disponível, relevante e credível, apta a dar resposta aos grandes desafios nacionais e internacionais que vai enfrentar pelos portugueses e ao serviço de Portugal”.

O até recentemente comandante operacional da Madeira referiu ainda que não poupará esforços para que se dê continuidade ao reforço das relações com todas as instituições que colaboram com a Autoridade Marítima Nacional, “aperfeiçoando sempre que possível os métodos de articulação funcional e o desenvolvimento dos processos de partilha de informação”.

O novo Director-geral da Autoridade Marítima e Comandante-geral da Polícia Marítima deixou também uma palavra aos elementos da Autoridade Marítima Nacional.

“O prestígio conquistado e o nível de desempenho atingido pela Autoridade Marítima Nacional nos últimos anos são um património que nos cumpre preservar e, onde nos for possível, desenvolver. Colocarei, neste novo desafio que hoje abraço, toda a minha capacidade, competência, coragem, espírito de sacrifício, sentido do dever e sentido do humano.”

Marcaram também presença nesta cerimónia o Director Nacional da Polícia Judiciária, o Director-Geral da Direção de Recursos Naturais, Segurança e Serviço Marítimos (DGRM), a Directora-Geral da Autoridade Tributária e Aduaneira, o 2.º Comandante-Geral da GNR, em representação do Comandante-Geral, o Inspector Nacional da PSP, em representação do Director Nacional, e a Directora de Fronteiras de Lisboa, em representação do Director Nacional do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, entre outras entidades.